Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Tolima vira coadjuvante em casa, mas tenta lucrar sendo a zebra

Equipe de Ibagué tem torcida a favor, mas presença de astros do Corinthians é que chama a atenção

Bruno Winckler, enviado iG a Ibagué |

O Tolima conseguiu ir além do que imaginava quando empatou por 0 a 0 com o Corinthians, fora de casa, no jogo de ida da fase pré-grupos da Libertadores. Esperava que, devido ao bom resultado, a torcida de Ibagué, capital do departamento que deu nome ao time, demonstrasse seu carinho apoiando a equipe. Mas o que se viu na segunda-feira, primeiro dia do Corinthians na cidade colombiana, foi uma correria dos colombianos para estar perto de Ronaldo e Roberto Carlos. O Tolima, que gasta US$ 300 mil (cerca de R$ 500 mil) por mês com o futebol, claro, se aproveitará da presença da dupla para lucrar.

Bruno Winckler
Ibaguenhos assistem ao treino do Corinthians no estádio da cidade
O treino do Corinthians na segunda-feira, no estádio Manuel Murillo Toro, foi aberto após 20 minutos de atividades para os cidadãos de Ibagué, que pareciam não acreditar na oportunidade de ver em sua cidade de quase 450 mil habitantes ícones do futebol mundial. A entrada no treino, que foi de graça e não era prevista antes do início das atividades, serviu como demonstração para o presidente do Tolima, Gabriel Camargo, reafirmar a necessidade de majorar a entrada para a partida desta quarta-feira na cidade.

"É comum esse tipo de reação. Esperamos que, confiante na nossa primeira atuação, a torcida encha o estádio para nos apoiar contra esta grande equipe que é o Corinthians", disse Camargo.

Com Ronaldo e Roberto Carlos na cidade e mais o bom resultado da primeira partida no Pacaembu, Camargo inflacionou os ingressos da partida, que geralmente custam R$ 5 nas partidas pelo Campeonato Colombiano. Para assistir a Tolima e Corinthians, o torcedor terá de desembolsar no mínimo R$ 20. Os ingressos mais caros sairão por R$ 130. As entradas valem por dois jogos. No sábado, o Tolima recebe o Independiente de Medellín pela abertura do campeonato local.

"Era óbvio que nós tínhamos uma grande oportunidade de atrair nosso torcedor para este jogo, com grandes nomes do Corinthians. Então, fizemos este acerto para o ingresso de quarta-feira valer também no sábado, por este preço único", disse Camargo, vendo como natural o interesse do torcedor local pelo Corinthians e por seus astros. "Grandes jogos sempre atraem nosso torcedor. Só gostaria que fosse assim sempre", completou o presidente, que preferia não precisar de Ronaldo e Roberto Carlos para encher o estádio da cidade.

Bruno Winckler
Gabriel Camargo, presidente do Tolima
"Dizem que temos a quarta maior torcida da Colômbia, mas isso eu nunca vejo nos estádios. E olha que nossos ingressos são bem em conta", comenta Camargo, citando os problemas socias da região como uma das razões para a baixa procura por ingressos. Com capacidade para 30 mil espectadores, a média de público do Tolima não passa de 5 mil pagantes por jogo.

Entre as 24 principais cidades da Colômbia, Ibagué tem a quarta maior taxa de desemprego do país, com 18,2% da população economicamente ativa sem emprego registrado. Os números são do Departamento Administrativo Nacional de Estatística (DANE) e foram divulgados na segunda-feira.

Até por isso, apostando na alegria que o futebol dá ao povo da cidade, Camargo tenta conquistar mais ajuda do atual prefeito da cidade, José María Botero. "Gasto muito do meu bolso. O poder público pode ser mais efetivo", comentou Camargo, dono de uma rede de restaurantes populares em Ibagué.

A prefeitura da cidade alega que o estádio municipal, que está em péssimas condições, já é cedido e mantido pelo governo local sem ônus para o clube, que não paga para jogar lá.

O atacante Wilder Medina, de 29 anos, é o jogador mais admirado pelos torcedores locais e prefere não se meter na discussão. "Não me interessa isso. O que importa é que Ibagué tem que aproveitar ao máximo essa chance de ter uma equipe como o Corinthians, com Ronaldo e Roberto Carlos, aqui. Podemos entrar para a história passando por esta equipe. Aproveitemos o momento. Depois do jogo a gente vê como fica", disse Medina.

Leia tudo sobre: corinthianstolimalibertadores

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG