Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Tite troca agasalho por terno e gravata, mas não muda seu estilo

Treinador corintiano ministrou aula na FPF e não abriu mão da oratória comum ao seu dia a dia

Bruno Winckler, iG São Paulo |

Tite deixou o treino do Corinthians na sexta-feira a tarde como faz todos os dias. Com seu traje esportivo foi ao vestiário após um dia de trabalho, mas de lá saiu não para descansar em casa e sim preparado para reviver seus dias de professor Educação Física.

Bruno Winckler, iG São Paulo
Tite durante sua palestra na FPF: ali ele troca o agasalho pelo terno

De terno e gravata, o técnico se dirigiu para a Federação Paulista de Futebol, onde ministrou a aula inaugural do curso “Técnica em campo”, voltado para a formação e aprimoramento de profissionais do futebol.

O iG acompanhou a palestra do professor Tite e, durante os 70 minutos da explanação do palestrante para uma plateia de cerca de 40 pessoas, o comandante corintiano abusou dos termos técnicos do futebol, mas sem perder a didática de ensino.

Entre os alunos do curso que pagaram R$ 1.500,00 para ter duas aulas por semana até junho, Tite conseguiu se fazer compreender. “Foi uma honra voltar a dar uma aula e estar aqui”, disse Tite ao final da exposição. O treinador é formado em Educação Física pela PUC (Pontifícia Universidade Católica) de Campinas.

Para estudantes da área, treinadores em início de carreira e até Oswaldo Alvarez, o Vadão, que também dará aulas no curso, Tite conseguiu expor seus pensamentos de forma clara e até surpreendentemente elucidativa para quem acompanha semanalmente as entrevistas do professor no CT corintiano.

Na exposição, Tite usou vários vídeos sobre experiências pessoais na carreira. Passa pelo título gaúcho com o Caxias em 2000, pelas conquistas com o Grêmio em 2001 e com o Inter em 2008 e até pelo Palmeiras de 2006, quando ajudou a livrar seu atual rival do rebaixamento. O Corinthians, que treinou em 2004, também foi lembrado, assim como alguns jogos recentes que comandou a equipe do Parque São Jorge.

Quando falou do seu atual momento no clube, Tite se sentiu orgulhoso ao lembrar de quando começou. “Outro dia, quando cheguei para trabalhar, vi aqueles três, quatro campos perfeitos para eu treinar, toda aquela estrutura e lembrei do meu início, lá no interior do Rio Grande do Sul, quando tinha que ir com uma pá para o treino para limpar a bosta de cavalo que tinha no campo para ter condição de treinar a equipe”, disse.

O caráter motivacional do seu estilo de conduzir uma equipe também foi abordado pelo treinador, que acabou salvando o Corinthians e o Palmeiras do rebaixamento em 2004 e 2006, respectivamente. “No Palmeiras, o presidente Della Monica virou para mim e perguntou: ‘Tite, a gente vai sair dessa?’ E eu falei. ‘Não sei se a gente sai, mas vamos fazer de tudo para ser recompensado com muito trabalho”, comentou.

AE
Tite em sua palestra habitual: tentando manter o foco em treino do Corinthians

Neste momento, o treinador exibiu um vídeo de uma partida do Palmeiras contra o Vasco, logo depois que assumiu a equipe, na primeira partida após a Copa de 2006. O time somava quatro pontos em 10 partidas e neste jogo, após abrir vantagem, cedeu empate por 2 a 2 para o time carioca no final do primeiro tempo.

Tite exaltou a atitude de Marcos que levantou os companheiros após o gol de empate. E na volta do intervalo o Palmeiras marcou duas vezes para vencer a partida e iniciar uma sequência de quatro vitórias. “Nesta hora você afasta os fantasminhas e os medos e canaliza toda sua força no trabalho”, disse Tite.

Depois de passar por aspectos técnicos do jogo, estilos de marcação, esquemas táticos e outros jargões do futebol, o treinador encerrou sua participação com uma abordagem mais humana do esporte. Quase se passando por mentor de auto-ajuda, Tite lembrou que os profissionais do futebol precisam estar felizes com o que fazem para conseguir resultados.

E o exemplo desta felicidade, para Tite, é Zagallo. O ex-treinador e jogador da seleção brasileira foi o astro que encerrou a exposição do treinador corintiano com um vídeo de um amistoso da seleção brasileira em 1996, contra a África do Sul, em Joanesburgo.

No vídeo, Zagallo devolve uma provocação que partiu da comissão técnica rival quando o time da casa vencia por 2 a 0 no primeiro tempo. Ao virar o jogo para 3 a 2, no final do jogo, com um gol de Bebeto, Zagallo invadiu o campo e como haviam feito os sul-africanos no primeiro tempo, que imitaram um avião no gramado, Zagallo e os brasileiros devolverão na mesma moeda "voando" em solo africano.

“Esta imagem representa o que é ter prazer e realização no que faz. O Zagallo irradia satisfação. É uma alegria irradiante que ele passa no semblante do que sente como uma realização na atividade profissional”.

É com o exemplo de Zagallo que Tite espera trabalhar por muito tempo no Corinthians. “Tenho de ser assim na minha rotina se eu quiser ser um profissional melhor a cada dia”, disse o engravatado Tite, que neste domingo voltará a usar o traje esportivo no jogo do Corinthians antes de mais um compromisso pelo Campeonato Paulista.

Leia tudo sobre: corinthiansfederação paulistatite

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG