"Estou triste, chateado. Um pouco irritado até. Para mim era um dia especial, pô", reclamou o técnico

Tite apareceu na sala de entrevistas do Pacaembu com os olhos avermelhados, fisionomia carrancuda e até embargando um pouco a voz em suas primeiras palavras. Antes de enfrentar o Ceará neste domingo de Dia dos Pais, recebeu da filha uma placa em comemoração ao seu centésimo jogo à frente do Corinthians com a frase "Não é só um treinador, mas o líder de uma nação". O empate por 2 a 2 estragou sua retribuição.

Tite foi homenageado por seu centésimo jogo à frente do Corinthians com uma placa entregue pela sua filha Gabriele
Gazeta Press
Tite foi homenageado por seu centésimo jogo à frente do Corinthians com uma placa entregue pela sua filha Gabriele
Sempre educado e ponderado em suas coletivas, o treinador deu respostas duras, a começar quando ouviu que estava abatido. "Estou triste, chateado, é diferente de abatido. Um pouco irritado até. Para mim era um dia especial, pô", afirmou, pouco antes de fazer o primeiro de muitos pedidos de desculpas por ser mais ríspido do que costuma.

"Sou humano e tenho a capacidade de indignação. Se vier um cara sorrindo aqui, não é a nossa cara. Vou ficar contente com esse desempenho em um dia especial?", indagou. "É amargo, me dói, mas estou muito consciente do que falo e não vou sair do meu perfil", continuou, aparentando até marejar os olhos ao justificar tanta chateação.

"Fazendo centésimo jogo pelo clube, recebo uma placa da minha filha, ela chorando, a minha família aí, eu recebendo camisa... Ganho carinho do clube em que trabalho, da minha família e não consigo traduzir. Estou duplamente triste. Estou sentindo demais", relatou.

O treinador deixou tão claro seu sentimento que, no caminho para o ônibus, nem teve forças para atender a fãs que lhe pediam autógrafos e fotos. Só tocou no braço deles, com cara de lamentação. A faixa "Obrigado meu querido, meu velho, meu amigo!" pendurada no tobogã desde antes da partida em parte de ação de marketing do clube para o Dia dos Pais também deve ter mexido com ele.

Diante da reação do chefe, os jogadores, na saída do estádio, contaram que também estão entristecidos, mas pediram ao técnico para se reerguer. Tite não gosta de ser chamado de pai de seus jogadores - "meus filhos são só a Gabriele e o Mateus" -, não abdicou, porém, de frases de ensinamentos ao elenco logo após o frustrante resultado de um domingo em que ele queria festa.

"Às vezes você cobra, às vezes incentiva. Mas defeito do meu filho quem fala sou eu, nãos os outros. E nunca publicamente, assim como faço com os atletas. Preservo-os muito, não os exponho", contou, paternal também no recado. "Tento ensinar a eles a capacidade de se reciclar. O principal ensinamento é: falar menos e trabalhar mais."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.