Nesta terça-feira, véspera do duelo com o XV de Piracicaba, Cássio e Ramon substituíram Tite na coletiva no CT Joaquim Grava

O técnico Tite não falou nesta terça-feira
Gazeta Press
O técnico Tite não falou nesta terça-feira
Na última sexta-feira, antes de ser bombardeado com perguntas sobre a demissão por justa causa de Adriano e o clássico contra o Palmeiras, Tite quis saber se os jornalistas não estavam cansados de ouvi-lo. Dois dias antes, questionamentos sobre o baixo rendimento do ataque fizeram o técnico do Corinthians abandonar o sorriso e se irritar após a importante vitória sobre o Cruz Azul, na Libertadores. No domingo, após triunfar no clássico, o comandante concedeu uma entrevista rápida e avisou que precisava de folga.

Nesta terça-feira, véspera do duelo com o XV de Piracicaba (ocasião em que costuma falar), Tite passou a vez. Cássio e Ramon o substituíram no CT Joaquim Grava. O chefe voltará a conversar com os repórteres após a partida.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Também para blindar o grupo, Tite fala muito. Na semana passada, deu entrevista coletiva quatro vezes e evitou, por exemplo, que jogadores como Liedson e Willian fossem questionados sobre a má fase que atravessam. O primeiro não marcou gols em nenhum dos 12 jogos oficiais que disputou nesta temporada, enquanto o segundo não foi relacionado para os dois últimos compromissos e ficará no banco diante do XV de Piracicaba, nesta quarta, mesmo com um mistão em campo.

Leia mais: Jorge Henrique aposta em Liedson para obter placar elástico

O treinador faz questão de dizer que seus jogadores sabem de tudo antes dos jornalistas. Às vezes, prefere não se manifestar para preservar os comandados. Foi assim durante quase toda a passagem de Adriano pelo clube, até que a paciência chegou ao fim e o contrato do Imperador foi rescindido. Agora, Tite segue orientações do departamento jurídico e não toca mais no assunto.

Veja também: Polícia fecha sedes da Gaviões e da Mancha e prende torcedores

A conduta do chefe conquistou os jogadores do Corinthians , que ficaram ao lado dele após o entrevero com o ex-camisa 10, que era um componente querido do elenco. Exemplo do bom ambiente foi dado após a vitória sobre o Palmeiras, quando praticamente todos os atletas elogiaram a bronca de Tite no intervalo (o Corinthians voltou para a etapa final muito melhor e virou o jogo em seis minutos). Emerson, que chegou a amargar o banco mesmo sendo um dos mais experientes e consagrados do grupo, falou em "perfeição".

"Dá para ver que o Tite é um cara bem coerente no que fala. Quem está melhor, joga mesmo. Ninguém reclama e isso faz com que a gente até goste de ter treino, o ambiente é muito bom", elogiou o goleiro Cássio, que foi à sala de imprensa do CT Joaquim Grava no lugar do comandante, assim como Ramon.

E mais: Andrés Sanchez não descarta levar ex-escudeiro corintiano para a CBF

"O Tite procura criar um ambiente família. Claro que não dá para agradar a todos, tem situação em que a gente fica chateado com ele, se não nos coloca, se tira, mas é normal em qualquer profissão. Ele procura ser muito justo e faz com que a gente pense assim também. Ele faz com que a gente brinque, tenha liberdade, mas se respeite. Por isso o grupo é fechado", emendou o lateral esquerdo.

Entre para a torcida virtual do Corinthians:

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.