Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Tite dribla ansiedade e diz que pode administrar possíveis erros

Técnico disse que o Corinthians pode errar, mas quer ver "persistência para trabalhar" na reta final do Brasileirão

Gazeta |

Gazeta
Ao falar do Corinthians, Tite lembrou que seres humanos estão sujeitos a falhas
Empatado com o Vasco na primeira colocação do Campeonato Brasileiro e seguido de perto por mais três times cariocas, o Corinthians pode ver o título escapar se tiver vacilos nos cinco jogos restantes da competição. Mas o técnico Tite trabalha bem tal condição, lembra que seu time foi ponteiro na maior parte das rodadas e que seres humanos estão sujeitos a falhas.

Corinthians ainda é líder. Veja a tabela do Brasileirão

"Em outros momentos, estive mais ansioso. Mas agora, sendo referência para a equipe, tendo a bagagem que tenho, os títulos que conquistei, as equipes que dirigi, olho para trás e faço comparativo das campanhas, sabendo que posso administrar muito bem", disse o comandante, que deixou sua equipe na primeira colocação da competição em 20 das 32 rodadas disputadas.

"Apenas máquina é que não erra. Somos seres humanos, a gente pode errar. Mas tem que ter persistência para trabalhar. Tem que ter a coragem do enfrentamento, a grandeza, a dimensão, a responsabilidade", emendou o treinador. "Todas as equipes da ponta correm risco de errar e não serem campeãs, inclusive a nossa. Aqui é maior (a pressão), pela grandeza, pela necessidade de resultados, pelo apelo popular, pela vontade que tem de ganhar. Mas em todas elas é assim".

Há duas rodadas, os corintianos têm ouvido comentários de que possuíam tabela mais fácil em relação aos concorrentes, já que enfrentariam cinco adversários dentre os que lutam contra o rebaixamento à segunda divisão. Porém, diante do primeiro deles, o Avaí, o time sofreu para virar o placar em casa. Já contra o lanterna América-MG, no domingo, a equipe acabou derrotada.

Perguntado se, ao mesmo tempo em que evitou menosprezar, o Corinthians também respeitou demais seus rivais, o treinador alvinegro se saiu bem. "O respeito maior que tenho é ao meu trabalho, o respeito maior que o Corinthians tem é a ele mesmo. Respeitamos o adversário, mas marcando na hora em que estava sem a bola. A equipe tem audácia, ambição de ser campeã. Tem os dois momentos. Não é pecado ser campeão, ser feliz, querer ganhar o jogo", encerrou.

Leia tudo sobre: titecorinthiansbrasileirão 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG