Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Tirone se reúne com Felipão e não fará mudanças no comando

Presidente do Palmeiras diz que ouviu do treinador que ele está motivado para retomar trabalho após vexame

Danilo Lavieri, iG São Paulo |

O presidente do Palmeiras, Arnaldo Tirone, ouviu de Luiz Felipe Scolari que ele ainda está motivado para continuar o trabalho à frente do time. A afirmação foi feita durante reunião que aconteceu na tarde desta segunda-feira na Academia de Futebol entre os dois e também contou com o vice-presidente de futebol, Roberto Frizzo.

O encontro foi marcado na semana passada, logo após o clube sofrer a goleada vexatória de 6 a 0 diante do Coritiba. O dirigente afirmou que precisaria conversar com o técnico para saber se ainda havia motivação de manter o trabalho na Academia de Futebol.

Siga o Twitter iG Palmeiras e recebe notícias do seu time em tempo real

“O Felipão me falou que está animado, que tem motivação, sim, para trabalhar conosco. Marcamos só para conversar sobre quinta-feira, entender o que aconteceu e ver o que poderíamos fazer. Ele segue normalmente no trabalho”, disse Arnaldo Tirone ao iG.

Via assessoria de imprensa, Felipão também manifestou vontade de continuar no clube e disse que, em nenhum momento, teve crises de relacionamento com Arnaldo Tirone ou com Roberto Frizzo, como afirmaram alguns conselheiros. Ainda via assessoria, o treinador do Palmeiras disse que sabe que o protesto de torcedores organizados não significa o que a maioria dos palmeirenses pensa.

No Palmeiras, Felipão foi contratado com um salário acima da média para o treinador de elite na época em que Luiz Gonzaga Belluzzo, então presidente, investia alto no futebol. A gestão não teve continuidade e a permanência dessas peças consideradas caras começaram a ser questionadas.

Assim que Tirone assumiu, Felipão se alinhou com o presidente e ajudou na redução de cortes, deixando jogadores como Edinho e Ewerthon, por exemplo, serem negociados. Em contrapartida, o treinador pediu bastante pela chegada de um centroavante. Wellington Paulista foi contratado, mas ainda não se encaixou como titular.

Agora, Tirone sofre certa pressão da ala econômica do clube para que Felipão seja demitido. Além de não manifestar interesse na troca de comando, o presidente também sabe que demitir o treinador custaria muito caro por causa da alta multa rescisória. Dívidas com Muricy Ramalho e Vanderlei Luxemburgo pesam até hoje no balancete do Palmeiras.

Protesto na frente da Academia

Nesta segunda-feira, cerca de 15 torcedores da TUP (Torcida Uniformizada do Palmeiras) compareceram em frente ao CT fazendo um protesto pacífico. Líderes da facção queriam ter uma reunião com dirigentes e comissão técnica dentro da Academia, mas não tiveram permissão para entrar. Eles foram recepcionados pelo gerente administrativo, Sérgio do Prado.

“Eles queriam saber como um time como o Palmeiras pode tomar seis gols em um jogo. Eu expliquei que ainda estamos conversando e que ainda não entendemos como aquilo aconteceu. Foi um protesto pacífico, conversamos normalmente e infelizmente não poderia deixá-los entrar”, explicou Sérgio do Prado.

Leia tudo sobre: palmeirasfelipãoarnaldo tirone

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG