Obras da Arena Palestra seguem paradas na quinta-feira e podem ser retomadas na sexta-feira

A assinatura da rafiticação da escritura da Arena Palestra ainda não vai acontecer nesta quarta-feira, o que significa que as obras devem continuar paradas na quinta-feira. O presidente do Palmeiras , Arnaldo Tirone, afirmou que aguardava uma ligação da WTorre para oficializar o novo documento, mas que não foi chamado até agora.

Segundo ele, clube e empresa tentavam dar o ok na redação final da escritura e também nas mudanças do contrato, o que não aconteceu em tempo hábil. Ao lado de alguns de seus acionistas, Walter Torre Jr., presidente da companhia de engenharia, prometeu ser fiador da obra caso sua empresa não cumpra o contrato. Ou seja, ele bancaria a diferença entre o valor do seguro e que for necessário para terminar de colocar o estádio de pé.

“Eu fiquei à disposição o dia inteiro, só esperando eles me ligarem. Problema é que não deu. Os jurídicos da WTorre e do Palmeiras ficaram conversando para finalizar o documento, mas não deu tempo. Eu não posso ser culpado por não assinar isso agora. O contrato está feito há três anos”, disse Arnaldo Tirone ao iG.

Arnaldo Tirone tem sofrido pressões de aliados para melhorar contrato
AE
Arnaldo Tirone tem sofrido pressões de aliados para melhorar contrato


Ele havia dito na noite da última terça-feira que tinha 95% de certeza de que tudo se resolveria nsta quarta e que as obras voltariam já no dia seguinte. Ele também acredita que a mudança no contrato, com uma garantia extra em relação ao aspecto financeiro, deixará nomes ligados ao ex-presidente Mustafá Contursi mais tranquilos, uma vez que eles consideram o contrato ruim e perigoso.

Ministério Público recomenda que obra seja paralisada

A novela da Arena ainda ganhou outro capítulo nesta quarta-feira. O Ministério Público entregou uma recomendação ao clube para que as obras fossem paralisadas por causa de um problema de impermeabilização do terreno.

O cartola palmeirense admitiu que recebeu a notificação, mas disse que isso não impede que as obras continuarem, uma vez que o alvará foi entregue pela Prefeitura. Sendo assim, que precisa entrar em acordo com o Ministério é Gilberto Kassab.

Ele estranha o fato do problema surgir agora, uma vez que o projeto foi aprovado quando a legislação sobre a impermeabilização era outra. Ou seja, as mudanças de lá para cá não poderiam ser aplicadas.

“Eu não tenho nada a ver com isso. O Ministério notificou o alvará, que foi entregue no ano passado. Não fui eu que assinei nada. A Prefeitura entregou o documento e permitiu o início das obras. O Kassab que vai precisar explicar porque entregou. Acho que ele não vai complicar nada, porque ele está muito disposto a nos ajudar”, finalizou Tirone.

A reportagem tentou contato com o Ministério Público, mas não obteve sucesso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.