Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Tinga exalta a rápida volta por cima no time do Internacional

Em menos de 1 mês volante virou reserva, se machucou, quase foi embora, desmentiu briga e voltou a campo

Gabriel Cardoso, iG Porto Alegre |

O volante Tinga está contente com a volta por cima que deu no Inter. Em menos de um mês ele perdeu a vaga no time, fez tratamento médico, recebeu uma sondagem do exterior, teve de negar boatos de que teria brigado com o técnico Celso Roth e no fim, retomou o lugar entre os 11.

“Foram duas semanas sem jogar, se falou bastante coisa sobre a minha situação aqui dentro, mas mesmo com tudo isso eu mantive meu jeito profissional. Eu respeito o clube, respeito o comando, mas sempre disse que não me considerava reserva. Eu respeitei as decisões, treinei no time de baixo, e nos últimos dias ganhei a chance, até não esperava que fosse tão cedo”, comentou.

Tinga acabou ganhando a vaga de titular nos últimos treinos antes de o time vencer o Ypiranga nesta quinta-feira. Ele superou Wilson Matias e espera seguir no time. Em um setor cheio de jogadores famintos por uma vaga no time Tinga vê uma vantagem a seu favor.

“Acredito que tenho facilidade para jogar em qualquer função do meio de campo. Não tenho preferência. Acho que isso me ajudou a ficar entre os 11 por onde eu passei. Quero estar dentro dos jogadores escolhidos. O Celso tem um problema ótimo por ter bons jogadores em várias posições”, projetou.

Tinga havia perdido espaço no dia da estreia do Inter na Libertadores. Em 16 de fevereiro, no empate diante do Emelec, ele acabou sendo sacado horas antes da bola rolar. Enquanto os médicos e o técnico Celso Roth diziam que ele estava com um desconforto no tendão de Aquiles, o volante afirmava que tinha condições de jogar. Passou por mais de uma semana de tratamento e voltou no fim da fila.

Enquanto Bolatti arrebentava em campo, e Matias fazia o trabalho sujo de desarmar, Tinga via a titularidade distante. Neste meio tempo chegou uma sondagem do futebol chinês, ele ouviu, mas não se empolgou, seguiu trabalhando. Um boato forte de que ele teria se desentendido com o técnico Celso Roth circulou por alguns dias. Quando perguntado, o jogador negou. Parecia que Tinga demoraria para voltar aos 11, acabou conseguindo a chance logo no primeiro jogo do Inter após duas semanas de treino.

Caberá a ele convencer Celso Roth de que pode estar em campo dia 16, quando o Inter visita os bolivianos do Jorge Wilstermann. O treinador não confirmou, e deixou a decisão em aberto.

“O Matias é uma alternativa muito importante para a marcação. Ele forma uma dupla muito boa com o Bolatti para dar sustentação para a defesa. Tinga e Guiñazu sabem tocar a bola. Tenho problemas bons e preciso fazer a melhor escolha. Tem que ver quem está melhor no momento”, avaliou o treinador.
 

Leia tudo sobre: InternacionalTingaCampeonato Gaúcho 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG