Tamanho do texto

Apesar do baixo nível técnico dos adversários, Caio Júnior defende primeiros testes

Jogadores do São Paulo usaram bola sem as melhores condições
Hector Werlang
Jogadores do São Paulo usaram bola sem as melhores condições
De 50 candidatos no peneirão, sobraram 20. O técnico de um é dirigente e espião de outro. E o jogo mais vale pela troca de faixas.

Mercado da Bola: fique por dentro das últimas negociações do futebol brasileiro

A preparação dos rivais do Grêmio em dois amistosos na reta final da pré-temporada confirma o status de clubes amadores e não é capaz de indicar um desempenho diferente de goleadas. Mesmo assim, Caio Júnior acha a experiência válida.

O São Paulo, do Bairro do Borgo, é o primeiro adversário, sexta-feira, às 17h30min. Nem tem time adulto – disputa campeonatos de veteranos e mantém escolinhas para nascidos até 2004. Nesta lógica, o presidente Edemar Capelesso convidou o técnico Erceli José Goin e deu a missão:

"Faz um amontoado aí. Busca os melhorzinhos, afinal, não dá para fazer feio".

A peneira reuniu 50 interessados. Sobraram 20. Que treinaram apenas uma vez, na tarde da última quarta-feira. Por cerca de uma hora, disputaram uma espécie de coletivo. Só com três bolas. Uma delas com a costura rasgada.

Twitter iG Grêmio: Notícias e comentários em tempo real

Grêmio já treinou no campo do campeão do estadual amador de 2011
Hector Werlang
Grêmio já treinou no campo do campeão do estadual amador de 2011
Lá se viu Joninhas correr feito louco pela ponta-esquerda. Rafael ter visão de jogo. E um “genérico” de Léo Gago “sofrer” com brincadeiras dos colegas: Leonardo, lateral-esquerdo reserva, também tem dificuldade em falar.

“É, mas posso fazer uma frente”, brincou.

Só que não foi completo. Dois enxertos, jogadores convidados para qualificar o time, não puderam comparecer. Irão jogar na base da conversa. É o caso de Diego Bottin (ex-Internacional) e Diógenes (ex-Caxias).

O curioso é que Erceli tem um olho no peixe, outro no gato. Também é dirigente do Flamengo, de São Valentim, distrito de Bento, o rival de sábado, às 17h. Um espião nato, afinal, acompanhou treinos de Caio Júnior e irá enfrenta-lo antes.

“Até posso passar alguma coisa (risos), mas não será o caso...”.

Taça do Amador é guardada com carinho no Flamengo
Hector Werlang
Taça do Amador é guardada com carinho no Flamengo
O Flamengo encara o jogo como uma festa. Irá receber do Grêmio as faixas de campeão do Estadual Amador 2011, torneio que venceu com invejável campanha: 14 jogos, oito vitórias, cinco empates e uma derrota. O problema: a final e último jogo da turma foi em 6 de novembro. Time amador, sem treinar, sem preparo físico...

“Até pedi para os atletas darem uma corridinha na última semana, mas sabe como é... ainda estão comemorando o título. Vamos fazer o nosso melhor e tentar dificultar a vida do Grêmio”, disse o técnico José Bavaresco, o Cabeça.

Outra dificuldade é a perda de dois jogadores da campanha vitoriosa: Fininho acertou com o Veranópolis e Fábio Alemão, Internacional, de Santa Maria.

Caio Júnior deixa de lado as dificuldades dos rivais. Entende ser válido os duelos, afinal, os usará como avaliação do trabalho feito em oito dias de preparação em Bento Gonçalves:

“Entendo que esses jogos serão coletivos. Os treinos que fizemos foram trabalhos táticos. É a hora de deixar os jogadores mais à vontade. Ver situações de jogo. Quero analisar individualmente e taticamente para saber em que nível estamos. E definir o que vou fazer na próxima semana de trabalho”.

Entre para a Torcida Virtual e convide seus amigos