Tamanho do texto

Tradicional Rangers pediu falência em fevereiro e perdeu 10 pontos no campeonato nacional

Vivendo a maior crise de sua história, o tradicional Rangers, da Escócia, está tomando medidas desesperadas para tentar pagar suas dívidas e não ter que fechar as portas. Na noite da última terça-feira, a equipe de Glasgow anunciou que vai promover cortes de 75% dos salários de seus jogadores mais abonados: o meia (e capitão) Steven Davis e o goleiro Allan McGregor. Eles recebiam, respectivamente, 28 e 26 mil libras cada (R$77,6 mil e R$ 72,1 mil) por semana, e agora vão passar a ganhar menos de 10 mil libras (R$ 27,7 mil).

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Getty Images
Capitão Davis deixa o CT do Rangers, em Glasgow, após ter 75% do salário cortado
A medida é parte do plano da consultoria Duff and Phelps, que agora administra o clube, para cortar gastos. A equipe ainda precisa tirar 4,5 milhões de libras (cerca de R$ 12,5 milhões) de sua folha até o fim da temporada europeia. Além de Davis e McGregor, os outros jogadores do elenco também sofrerão cortes salariais, um pouco mais leves: entre 25% e 50% dos vencimentos. Para compensar, o Rangers já avisou que vai facilitar a transferência de qualquer atleta que se sentir lesado e quiser deixar o clube. Os funcionários do clube estão com salários atrasados e devem receber ações do Rangers para quitar os pagamentos.

LIGA DOS CAMPEÕES: Arsenal fica perto de milagre, mas Milan perde "só" de 3 e avança

O zagueiro Kyle Bartley foi um dos poucos a comentar a situação. E, surpreendentemente, se mostrou favorável ao corte. "Todos os jogadores que tiverem o salário cortado estarão ajudando a salvar empregos. Não acho que os atletas queiram deixar o clube, mas acho que alguns terão que sair pelo bem da equipe. Eu pertenço ao Arsenal, e me falaram que eu teria que voltar caso houvesse corte de gastos, mas nada foi decidido. Sou jogador do Rangers até o final da temporada. É uma pena que um clube dessa importância passe por essa crise. São tempos tristes", disse.

Torcida do Rangers está desesperada com a possibilidade do clube fechar as portas. Time já pediu falência
Getty Images
Torcida do Rangers está desesperada com a possibilidade do clube fechar as portas. Time já pediu falência
Até o momento, dois atletas já pediram para deixar o Rangers, acertando rescisões amigáveis: os meio-campistas Gregg Wylde e Mervan Celik. "Eu pedi para deixar o clube sem exigir compensações pois pensei nas pessoas no clube que têm família para sustentar, como o pessoal da cozinha. Não sei o que vai ser da minha carreira agora, mas achei que era importante fazer isso para ajudar a salvar o time", revelou Wylde. Com a saída dos atletas, a equipe de Glasgow vai economizar 50 mil libras (R$ 138,8 mil) por mês.

Veja mais notícias sobre futebol internacional

O pedido de falência, feito em 14 de fevereiro à Suprema Corte da Escócia, tirou 10 pontos da equipe azul no Campeonato Escocês e impediu o time de contratar jogadores. Atualmente, a clube ocupa a 2ª colocação do torneio, 21 pontos atrás do rival Celtic. O Rangers é o maior vencedor da história do Escocês, com 54 títulos - este, aliás, é o recorde de troféus nacionais no mundo. As dívidas deixadas pelo antigo administrador, Craig Whyte, são de aproximadamente R$ 132 milhões.