Tamanho do texto

O Karloc teria comprado a classificação do time para a categoria máxima nacional e depois pago por "arbitragem honesta"

Os dirigentes do Karlovac, clube da Primeira Divisão da Croácia, compraram a classificação do time à categoria máxima da Liga nacional com dinheiro, prostitutas e jantares de luxo para os árbitros, denuncia o jornal "Jutarnji list".

Um ex-funcionário de um hotel da cidade de Karlovac afirma que todo o esquema foi organizado pelo dirigente Neven Sprajcer, ex-secretário da associação de clubes da primeira divisão croata, detido pela Polícia. A procuradoria da Croácia suspeita que Sprajcer combinou com o ex-árbitro Zeljko Siric, também detido, a classificação do Karlovac à Primeira Divisão em troca de 25 mil euros (R$ 59 mil) por temporada, e depois "arbitragem honesta" já na categoria principal do futebol por 15 mil euros (R$ 35 mil).

E mais: Messi afirma querer ficar no Barcelona até o fim da carreira

A detenção de Sprajcer faz parte de uma série de prisões em meio ao maior escândalo de corrupção e compra de partidas da Primeira Divisão na história do futebol croata. O escândalo começou a ser descoberto em dezembro, quando a Polícia prendeu Sprajcer, Siric e o presidente da comissão de árbitros da federação croata, Stjepan Dedovic.

Sprajcer e Siric teriam recebido dinheiro marcado, uma armadilha articulada pela procuradoria e pelo presidente do clube Hajduk Split, Hrvoje Males, informante das autoridades. Males teria lhes entregado 30 mil euros (R$ 70 mil) como primeiro pagamento dos 95 mil euros (R$ 223 mil) que o Hajduk tinha de pagá-los para uma "arbitragem honesta".