Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Terry revela ter jogado com dores por pelo menos cinco anos

Eu faço 30 anos na próxima temporada e tenho que cuidar de mim, afirmou o zagueiro, que finalmente parou para tratar lesão

Gazeta Esportiva |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237859292590&_c_=MiGComponente_C

O zagueiro John Terry, do Chelsea, revelou, durante a semana, que está preocupado com sua carreira por conta de uma lesão no nervo da perna. Segundo ele, estas dores o estavam atrapalhando há alguns meses e haviam ficado insuportáveis. Contando qualquer tipo de dor, porém, o atleta afirmou que não joga com 100% de condições há, pelo menos, cinco anos.

"A última vez em que eu joguei 100%? Talvez cinco anos, talvez mais. Eu não lembro muito bem", revelou o jogador, em entrevista concedida ao jornal inglês "Daily Mail".

Segundo o jogador, este tipo de coisa é comum no meio do futebol. "Se você tomar um anti-inflamatório e conseguir conviver com a dor, você joga. Muitos jogadores te diriam isto, e acontece quase toda semana. Os jogos não são tão complicados, pois a adrenalina te ajuda, mas treinar diariamente quando cada movimento que você faz dói é uma verdadeira batalha", comentou o jogador, que explicou o motivo que o fez decidir parar para se tratar.

"A dor desta contusão é a pior que eu já tive na vida. Não tem como eu continuar, mas quando eu estava assistindo o jogo no domingo contra o Sunderland (derrota do Chelsea por 3 a 0), em pensei: 'Será que se eu tivesse jogado mais um jogo eu teria feito a diferença?', mas não dava. Eu faço 30 anos na próxima temporada e tenho que cuidar de mim", lembrou.

Há algum tempo, Terry afirmou, brincando, que terminaria a vida em uma carreira de rodas por conta de contusões. Entretanto, ele afirmou já ter mudado de ideia. "É engraçado. Estava lendo sobre a história da cadeira de rodas e pensei: 'Quer saber, amigo? Este não é o seu melhor plano'. Eu ainda vou continuar dando carrinho com a cabeça, se precisar e não vou pensar duas vezes, mas não quer contar medalhas em uma cadeira de rodas. Prefiro jogar bola com meus filhos no jardim", disse Terry.

Ainda não há previsão de quando o zagueiro irá voltar aos gramados.

Leia tudo sobre: futebol internacionalinglaterra

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG