Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

"Ser improvisado na lateral atrapalhou minha carreira", diz Jean

Volante do Flu comenta a saída do São Paulo, a relação com Abel Braga e mais em entrevista exclusiva

Renan Rodrigues, enviado iG a Mangaratiba |

Muito elogiado pelo técnico Abel Braga desde a confrmação de sua contratação, o volante Jean chegou ao Fluminense para deixar duas coisas para trás. O São Paulo, clube por onde atuou em mais de 200 partidas, e a lateral-direita, posição que de 'quebra-galho', se tornou fixa nos últimos anos. Com confiança pelo recomeço, Jean sonha alto. Quer a seleção brasileira, a Europa e o Mundial de Clubes no final da temporada. Para isso, porém, a primeira missão é conquistar a titularidade no novo clube.

Confira abaixo a entrevista exclusiva do iG com o reforço do Fluminense:

iG: Você foi eleito a segunda revelação do Campeonato Brasileiro de 2008 atuando como volante. Acredita que ter se tornado lateral-direito atrapalhou sua carreira?
Jean:
Com certeza prejudicou de certa forma. Se tivesse dado continuidade na minha posição de origem, de volante, teria sido bem melhor para minha carreira. Atrapalha porque se você vira titular no meio, falam que você já está adaptado na lateral. Se volta a jogar como lateral, dizem que você é volante e não serve. Então não tem uma posição fixa, acaba atrapalhando.

Leia mais: Wellington Nem vira titular no Flu,e Abel cobra defesa

iG: Negaria se pedissem para você atuar como lateral no Fluminense? O Abel Braga já conversou sobre isso com você?
Jean:
Aqui no Fluminense eu estou preparado para jogar não só no meio-campo, mas se tiver que em um jogo ou outro ter que jogar na lateral, também vou, também jogo, não tenho problema nenhum. Mas o que eu já deixei bem claro é que minha posição mesmo é no meio-campo, onde eu acho que vou render mais é no meio-campo, até pela qualidade de marcação, passe. Eu só não quero mais que aconteça como no São Paulo, jogar por um ano e meio ou dois anos como lateral. Quero dar uma continuidade no meio-campo.

Nelson Perez/FluminenseF.C.
Jean quer uma vaga na seleção brasileira atuando como volante


iG: No começo de 2009, o São Paulo recusou algumas ofertas de clubes europeus pelo seu futebol. Ainda pensa em atuar fora do país?
Jean:
Sempre tive essa meta de querer jogar na Europa, em algum time grande. É o sonho de qualquer um, eu também tenho, mas do jeito que estão andando as coisas, os times brasileiros estão tendo condições de manter os jogadores de alto nível. Tanto que muitos jogadores da Europa querem voltar, porque aqui estão pagando um salário muito bom. Mas é um sonho sim, jogar e fazer carreira na Europa.

Veja mais: Sem a sombra de Ceni, Jean é destaque em treino de faltas do Flu

iG: Até agora, qual jogador do Fluminense chamou mais sua atenção pela técnica?
Jean:
Se for analisar o elenco todo, o trabalho coletivo do Fluminense é diferenciado. Na minha opinião, se der continuidade nesse time, se o elenco continuar trabalhando do jeito que está, sem errar passe, como já vi, é difícil ter um jogador que carrega a bola, fica mais fácil, mais bonito de jogar. O único que é diferenciado, já passou por vários grandes clubes da Europa é o Deco, não tem jeito. Ele é o diferencial do time, a batida dele na bola chama a atenção. Mas o elenco inteiro é de qualidade e tem tudo para conseguir grandes conquistas nesse ano.

iG: Como é o estilo de trabalho do técnico Abel Braga? Quais as características mais marcantes do comandante do Fluminense?
Jean:
Pelo pouco que pude conhecer, é mais levado para o lado do Muricy, mas num sentido de falar, de conversar, no jeito de ser. Lembra um pouquinho. Mas é um estilo único, estilo próprio dele. Além de ser um treinador que busca sempre estar melhorando, fala com todos os jogadores da mesma maneira. Isso também me chamou a atenção por isso. No que precisar pode contar com ele, pode conversar. É um treinador que deixa aberta essa relação atleta-treinador e isso admirei muito nele.

Veja também: Flu confirma apresentação de Thiago Neves para esta sexta-feira

AE
Jean defendeu o São Paulo durante quatro anos e mais de 200 jogos
iG: Ainda sonha com a seleção brasileira? Acha que pode conseguir uma vaga no time?
Jean:
Com essas competições ai, principalmente a Copa Libertadores, que dá uma visibilidade muito grande, não tenha dúvida. Meu sonho sempre foi jogar na Europa e seleção, é a prioridade de qualquer jogador, qualquer atleta profissional de futebol, não tenha dúvida disso. Eu estou treinando duro, trabalhando, acredito que sim, se der uma continuidade boa esse ano no meio-campo, acredito que vou ter logo minha oportunidade na seleção e vou procurar aproveitar.

iG: Grande parte da torcida do São Paulo protestou por sua saída. Acha que foi pouco valorizado no Morumbi?
Jean:
É normal, vejo de uma forma natural. Já tinha um certo tempo que estava lá. Nos últimos meses acabei ficando alguns jogos no banco, em outros fui titular. Mas chega uma hora em que outros clubes têm mais interesse. No São Paulo eu já estava sendo apenas mais uma opção, não estava sendo mais um titular certo, vamos dizer assim. O Fluminense mandou a proposta, me valorizou e eu vi de uma forma natural. Foi bom para o São Paulo, foi bom para mim e será bom para o Fluminense. Por isso não sai chateado, pois foi bom para todos.

iG: Você foi Campeão Brasileiro com o São Paulo, mas nunca venceu a Copa Libertadores. É o principal objetivo para a temporada?
Jean:
O grande objetivo é o Mundial de Clubes, que é o reflexo do título da Copa Libertadores. Eu deixei bem claro desde a coletiva que vim para cá para ganhar títulos, ficar para a história. Quero começar com a Libertadores. Já joguei duas e espero que nessa terceira, pelo Fluminense, saia vitorioso.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG