Eduardo de Rose disse que o estresse gerado pelo julgamento no nadador pode causar danos irreparáveis

O goleiro Renê, ex- Barueri e Bahia , pego no exame antidoping no final do ano passado, demonstrou sua revolta com a repercussão do caso do nadador Cesar Cielo. Os dois foram julgados pela substância furosemida. Enquanto o nadador recebeu apenas uma advertência da CAS (Cortê Arbitral do Esporte), o arqueiro foi suspenso por um ano .

Próximo de seu retorno ao futebol - daqui a cerca de 40 dias úteis -, Renê lamentou os comentários de Eduardo de Rose, membro da Wada (Agência Mundial Antidoping, em inglês). De Rose afirmou que "o estresse gerado pelo julgamento no nadador pode causar danos irreparáveis".

"Estou arrasado pelo que fizeram comigo. Só porque não sou medalhista? Estou sofrendo há mais de 300 dias com a suspensão que me impuseram. E o Eduardo de Rose se preocupou comigo? Ele fica preocupado com os 20 dias que o Cielo ficou parado. Eu estou há quase 1 ano sem poder exercer minha profissão", bradou Renê.

Goleiro Renê fecharia com o Atlético-MG quando foi suspenso por um ano por doping
Gazeta Press
Goleiro Renê fecharia com o Atlético-MG quando foi suspenso por um ano por doping

"Eu e o Cielo fomos pegos com a mesma substância, e os resultados dos julgamentos foram totalmente diferentes. Isso é revoltante", continuou o goleiro. Renê ainda explicou que não estava "torcendo" por uma pena maior para Cielo, mas pediu igualdade no tratamento dos casos.

"Aceitei a punição porque me disseram que a Wada não admitiria mais penas menores do que um ano, que não admitiria comutação de pena. E eu acreditei. As pessoas falam: 'Ah, é correto, é um atleta olímpico, é medalhista'. Que isso? Só eu sei o que estou passando. Minha vida mudou. O que eu tinha não tenho mais", lamentou o goleiro,. que chegou a fazer exames para jogar no Atlético-MG, mas o negócio não aconteceu devido à suspensão.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.