Treinador foi julgado em dois artigos por conta de polêmica com árbitro Sandro Meira Ricci em Fortaleza

O STJD abolveu por maioria dos votos o técnico Vanderlei Luxemburgo , julgado por conta da confusão ocorrida no jogo contra o Ceará, em Fortaleza , no último dia 11, pelas quartas de final da Copa do Brasil.

O treinador foi citado em dois artigos do CBJD (Código Brasileiro de Justiça Desportiva) por conta de entrevero com policiais militares no gramado, além de supostas ofensas relatadas pelo árbitro Sandro Meira Ricci. O goleiro Felipe , citado nos mesmos artigos, também foi absolvido.

Os dois estão livres para seguir trabalhando no Campeonato Brasileiro. O departamento jurídico do clube priorizou o julgamento .

Após o julgamento, o treinador desabafou. "Só sei que eu não quero mais voltar aqui (ao STJD). Já estou velho, falei muita bobagem e gastei muito dinheiro ao longo da minha vida. Agora chega, esse tipo de coisa não faz sentido."

Apesar do enfado, comemorou a decisão e não abriu mão da briga com Sergio Correa, presidente da Comissão Nacional de Arbitragem (este assunto não entrou em pauta no julgamento desta terça-feira). "Continuo dizendo o mesmo sobre o Sergio, ele é um incapacitado e não deveria ter escalado o Sandro Meira Ricci para aquele jogo por conta de confusões recentes na carreira dele.  Eu e o Felipe poderíamos ter sido suspensos, o que seria um grande prejuízo."

Luxemburgo prosseguiu. "Foi 1 a 0 para o nosso departamento jurídico. Ficou claro que o árbitro não poderia ter ouvido que eu o xinguei e que não agredi policiais."

Além de Luxemburgo e Felipe, outros dois flamenguistas também foram julgados ontem, sempre por conta do jogo contra o Ceará.

O zagueiro Ronaldo Angelim , expulso naquela partida (fato que gerou as confusões), foi absolvido por unanimidade. Já o preparador físico Antônio Mello, julgado por conta de declarações contra Sandro Meira Ricci após o jogo, foi apenas advertido pelo Tribunal.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.