Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Somente sete sobreviveram a 2010 ruim de Atlético-MG e Ipatinga

Campanhas ruins no Brasileiro são responsáveis por times tão diferentes na reedição da final do Mineiro

Victor Martins, iG Belo Horizonte* |

Na defesa do título estadual, o

Atlético-MG tem pela frente o Ipatinga, rival da decisão do ano passado. O primeiro reencontro desde a final de 2010 não vai ter clima de revanche, afinal muita coisa mudou nas duas equipes. Dos 28 jogadores que estiveram em campo na final, no Mineirão, somente sete podem participar do duelo deste domingo.

As péssimas campanhas de Atlético-MG e Ipatinga no Brasileirão explicam os times tão diferentes neste reencontro. Enquanto o time da capital escapou do rebaixamento na penúltima rodada da Série A, a equipe do Vale do Aço não teve a mesma competência e foi rebaixada à Série C.

Da equipe campeã, permanecem na Cidade do Galo o zagueiro Werley, o lateral-esquerdo Leandro, o volante Zé Luis e o meia Ricardinho. Todos foram titular na decisão, vencida pelo Atlético-MG por 2 a 0, com gols de Diego Tardelli e Marques. Na primeira partida o time da capital também venceu, por 3 a 2.

Pelo lado ipatinguense, continuam no Vale do Aço o zagueiro Max, o lateral-direito Luizinho e o volante Leanderson. O atacante Alessandro, de volta ao Ipatinga, fazia parte do grupo vice-campeão em 2010, mas ficou fora das duas partidas decisivas por conta de suspensão. As mudanças afetaram também o treinadores. Nem Vanderlei Luxemburgo e nem Gilson Kleina estão mais no Atlético-MG e no Ipatinga, respectivamente.

Remanescente daquela decisão, o meia Ricardinho quer uma vitória para o Atlético-MG se recuperar na competição, já que o time alvinegro perdeu o último jogo pelo estadual para o América-MG. Na ocasião o Atlético-MG também perdeu a liderança, por isso o triunfo sobre o Ipatinga ganhou mais importância, já que a meta atleticana é terminar a primeira fase no topo.

“O objetivo é sempre buscar a primeira colocação, independentemente dos clássicos que neste primeiro momento nós já tivemos. Mas o objetivo é ser primeiro, até porque você consegue uma vantagem até o final da competição que pode ser extremamente importante em um momento decisivo. Em um dia em que a equipe acaba não conseguindo o resultado, essa vantagem se torna favorável”, explicou o camisa 10 do Atlético-MG.

Divulgação
Além de Werley, Leandro, Zé Luis e Ricardinho, os meias Giovanni e Renan Oliveira foram relacionados para a final, mas não jogaram
Veja as escalações de Atlético-MG e Ipatinga na final do Mineiro de 2010:

Atlético-MG: Aranha; Carlos Alberto, Jairo Campos, Werley e Leandro (Júnior); Zé Luis, Correa (Cáceres), Fabiano e Ricardinho; Muriqui (Marques) e Diego Tardelli. Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Ipatinga: Douglas; Luizinho (Joabe), Sílvio, Max e Marinho Donizete; Max Carrasco, Afonso, Leanderson e Francismar (Müller); Danilo Dias e Reina (Patrick). Técnico: Gilson Kleina
 

Leia tudo sobre: Atlético-MGCampeonato Mineiro 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG