Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

"Sombra de Fábio", Rafael tem chance rara no gol do Cruzeiro

Jovem goleiro será o titular contra o Fluminense e espera manter a calma que apresenta nos treinos

Frederico Machado, iG Belo Horizonte |

No futebol brasileiro, são vários os exemplos de goleiros que passam quase toda a carreira em um mesmo clube e acabam se tornando ídolos da torcida. No Cruzeiro, Fábio é incontestável e tudo indica que o capitão do time vai até encerrar a carreira no time mineiro. E como é ser reserva de um jogador como esse? O jovem Rafael terá uma chance de ouro para finalmente começar jogando no próximo sábado, contra o Fluminense.

Siga o iG Cruzeiro no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

Rafael foi formado nas categorias de base do Cruzeiro e só realizou onze jogos pelo profissional. O jogador tem passagens pelas seleções de base e sabe que terá que ter paciência para aguardar seu momento no time mineiro. “Venho trabalhando há muito tempo. Tem o Fábio, que joga mesmo, que é um excelente goleiro. Mas eu procuro treinar, me dedicar bastante para quando aparecerem as oportunidades eu poder jogar bem e ajudar o Cruzeiro”, disse Rafael. Fábio tem contrato com o Cruzeiro até 2016.

Entre para a Torcida Virtual do Cruzeiro e convide seus amigos

Diante do Fluminense, Rafael terá uma rara chance como titular, já que Fábio está servindo a seleção brasileira nos amistosos contra Holanda e Romênia. “Antes de ir, o Fábio me desejou boa sorte e espero corresponder à altura. Lá dentro, no jogo, você vai fazer aquilo que você treina. E eu venho treinando, buscando me aprimorar, melhorar, para quando surgir a oportunidade, estar bem preparado. Não tem segredo”, resumiu Rafael.

Vipcomm
Com a convocação de Fábio, Rafael terá uma oportunidade rara de ser titular no Cruzeiro

O preparador de goleiros do Cruzeiro, Robertinho, reconhece que a falta de ritmo no caso de Rafael é grande, mas garante que o goleiro está em forma e pronto para ajudar. “É difícil porque o Fábio mantém uma regularidade grande, joga o ano todo, fica fora de dois ou três jogos por temporada. O goleiro suplente acaba tendo poucas chances. Mas procuramos superar isso com trabalho e dedicação nos treinos”, explicou Robertinho.

Os elogios foram muitos ao jovem goleiro cruzeirense. “Estamos bem tranqüilos com ele. Apesar da pouca idade, tem experiência e bagagem. Já passou por seleção e tudo. Não é um jogo qualquer e ele vai jogar com os titulares contra o atual campeão brasileiro. Vai ser importante para a carreira dele”, disse Robertinho.

AE
Deola soube esperar pelo seu momento no Palmeiras, do pentacampeão Marcos
Bons exemplos
Outros grandes goleiros tiveram que esperar muito para agarrar a titularidade em suas equipes. Rogério Ceni, tido como um dos maiores ídolos da história do São Paulo, chegou ao time paulista em 1990 e, durante sete anos, foi suplente do consagrado Zetti.

No Palmeiras, o pentacampeão Marcos também esquentou muito o banco de reservas. Chegou ao time em 1992 e só foi titular em 1999, ano da conquista da Libertadores. Agora, Deola vive a expectativa de assumir de vez a camisa 1, já que Marcos deve se aposentar no fim deste ano.

Durante o Campeonato Paulista, Deola foi titular em muitas partidas e mereceu elogios do experiente colega. “Fiquei muito tempo no banco do Sérgio e do Velloso, não tem problema, não acrescentaria nada a minha entrada agora. O Deola trabalhou muito para estar aí”, disse o goleiro Marcos na época.
 

Leia tudo sobre: CruzeiroBrasileirão 2011Rafael

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG