Lateral esquerdo aproveitou improviso do vascaíno Allan na ala direira para brilhar em São Januário

O lateral esquerdo Julinho já mostrava sua qualidade no jogo mais importante do ano para o Avaí , dando trabalho ao Vasco. E se definiu como destaque do primeiro duelo das semifinais da Copa do Brasil ao abrir o placar do empate por 1 a 1 em São Januário . Silas se diz conhecedor da qualidade do ala e revela um temor por vê-lo negociado.

"O Julinho vai ser a revelação deste ano. Isso é até preocupante porque o Avaí pode perdê-lo logo", admitiu o treinador do clube catarinense, afirmando que, na preleção, já havia comentado com seu jogador que poderia vencer o confronto particular com Allan, improvisado na lateral direita vascaína.

"Eu já tinha avisado ao Julinho que seria um duelo bonito entre ele e o Allan. Falei que seria uma luta de boxe, porque o Allan é melhor do meio para frente como ele. Se o Allan desse um soco, ele teria que dar outro melhor. Disse que confiava mais nele e o Julinho já tinha dado um bom chute no primeiro tempo antes de tocar no cantinho e fazer o gol", apontou Silas.

O lateral fará 25 anos em agosto, só passou pelo Atlético de Ibirama, de Santa Catarina, antes de chegar à Ressacada. E estava aparentemente surpreso por ser tão procurado para explicar a atuação da noite dessa quarta-feira, no Rio de Janeiro. Mas garantiu: atuou como sempre faz.

"Taticamente era isso: defender e sair para o contra-ataque rápido. O Silas já veio falando em todos jogos para eu explorar meu lado forte de atacar, não tocar de lado", contou Julinho, dizendo que seu gol, com o pé direito, foi por instinto. "Foi meio automático. Fechou para mim e optei por tocar para dentro. Tive a felicidade de acertar", lembrou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.