Tamanho do texto

Zagueiro do Fluminense admite que só não procurou um profissional da área médica porque o clube não tem

O longo período longe dos gramados já virou rotina na carreira de Digão . A novidade desta vez, no entanto, foi o tipo de lesão: um estiramento muscular na coxa direita . Fora do time do Fluminense por três meses, o zagueiro reapareceu com a língua afiada. Chateado em não saber o motivo de se machucar tanto desde o início da promissora carreira, o jogador admitiu nesta terça-feira que só não procurou um psicólogo até hoje pelo fato de o clube não ter este profissional em seu departamento de futebol.

“Eu sempre me machuquei muito desde as categorias de base e os médicos do clube não sabem dizer o motivo de tantas lesões na minha carreira. Mas essa foi a primeira vez que tive uma contusão muscular. Já pensei em procurar um psicólogo, mas o clube não tem. Na base tinha. Mas acho que o problema não é este”, disse Digão.

Siga o iG Fluminense no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

O histórico de lesões pode realmente nem ser causado por um transtorno psicológico, mas Digão não esconde que todas as vezes que esteve perto de voltar aos gramados temeu pelo pior.

“Esse é um receio natural de um jogador com tantas lesões na carreira como eu. Eu sei que isso faz parte do nosso trabalho e qualquer profissão tem seu risco, mas essa sequência de lesões me obriga a estar sempre correndo atrás do meu espaço”, explicou o jogador.

Muitas vezes essa corrida atrás do tempo perdido pode atrapalhar. Foi justamente o que aconteceu com Digão. A vontade de ficar bom logo para ajudar a equipe que vivia um momento complicado era tanta, que acabou atrasando em dois meses seu retorno aos gramados.

“O time não tinha zagueiro e eu tentei forçar minha volta antes do tempo, e acabei me prejudicando. Era para ficar um mês parado, mas acabei ficando três...”, disse o jogador.

“Entre para a Torcida Virtual do Fluminense e convide seus amigos”

Duro com os atacantes dentro de campo, Digão também mostra força fora dele para correr atrás do tempo perdido e recuperar seu espaço na equipe.

“Eu já passei por isso várias vezes e nunca desisti. Tenho que levantar a cabeça e continuar trabalhando sério para esperar minha chance chegar novamente”, disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.