Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

"Senhor clássico", goleiro Fábio vira referência para estreantes

Camisa 1 do Cruzeiro já enfrentou o Atlético-MG 27 vezes e tem ótimo retrospecto, com 16 vitórias

Frederico Machado, iG Belo Horizonte |

Reprodução / Blog Gols do Galo
O Goleiro Fábio ainda buscava uma bola no gol quando sofreu o quarto tento da vitória de 4 x 0 do Atlético-MG em 2007
Nenhum jogador que estará em campo no clássico entre Atlético-MG x Cruzeiro, nesse domingo, às 18h, conhece melhor a rivalidade dessa partida do que o goleiro Fábio. O capitão cruzeirense irá disputar seu 28º clássico mineiro e tem lembranças positivas e negativas do maior rival. Com tanta bagagem, Fábio se tornou uma referência para os jogadores que disputarão o dérbi pela primeira vez.

Siga o iG Cruzeiro no Twitter e receba todas as informações do seu time

Fábio já enfrentou o Atlético-MG em 27 oportunidades, levando boa vantagem no retrospecto. Foram dezesseis vitórias, cinco empates e seis derrotas. Um desses clássicos acabou marcando a vida do goleiro. Em 2007, na goleada sofrida por 4 a 0 diante do maior rival no primeiro jogo da final do Campeonato Mineiro, Fábio foi muito criticado, já que levou um gol quando ainda estava de costas buscando uma bola nas redes.

Entre para a Torcida Virtual do Cruzeiro e convide seus amigos

O goleiro quase deixou o Cruzeiro e até entrou para uma Igreja, adotando o discurso da fé em quase todas suas entrevistas. A partir daí, deu a volta por cima e hoje é goleiro de seleção brasileira. Apesar de todas essa bagagem, Fábio revelou que ainda sente um frio na barriga antes de cada clássico.

"Tento me preparar da melhor forma possível, como se fosse o meu primeiro, porque nos que eu já tive oportunidade de disputar, foram momentos maravilhosos. Mesmo na dificuldade, acho que é importante ter a possibilidade de disputar um clássico como esse. Minha dedicação é sempre melhorar e me motivar cada vez mais", afirmou o goleiro.

Vipcomm
Fabio deu a volta por cima depois do clássico de 2007 e se tornou ídolo da torcida do Cruzeiro

Fábio sabe que uma declaração sem pensar ou alguma atitude polêmica durante o jogo podem motivar o rival. "Cada jogo tem sua história e a gente já viu isso ao longo desses anos que eu tive a oportunidade de estar jogando. O jogo muda com uma palavra, uma entrevista que o jogador do Cruzeiro, do Atlético dão, muda totalmente a situação do clássico anterior", explicou.

O zagueiro Naldo, que deve disputar seu primeiro clássico pelo Cruzeiro, procura absorver um pouco dessa experiência do colega de time. "Tem que ter uma conversa com os outros jogadores, como o Fábio, para pegar uma experiência a mais. Em um detalhe ou outro a gente pode ganhar a partida. Como eu falei, a gente tem que conversar também com o pessoal da frente, os volantes, laterais, para a gente sempre trabalhar juntos", disse o defensor cruzeirense.

 

Leia tudo sobre: CruzeiroBrasileirão 2011Fábio

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG