Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Senegalês Diouf revela admiração por ditador da Líbia

Atacante revela ser amigo de Muammar Kadafi, mas diz que não sabe "o que está acontecendo" no país africano

Gazeta |

O senegalês El-Hadji Diouf, destaque da seleção nacional na Copa do Mundo de 2002, declarou ter admiração pelo líder da Líbia, o coronel Muammar Kadafi. De acordo com o atacante do Rangers (Escócia), eles são amigos pessoais.

"Sempre admirei Kadafi. Estou falando a verdade. Eu o conheço e o seu filho Saif. São meus amigos. Eu honestamente não sei o que está acontecendo na Líbia, mas deve ser muito difícil para Kadafi e sua família. Não me distancio do que está acontecendo. Não sei quem está certo ou errado, mas é uma pena ver tantas vítimas", lamentou ao tabloide inglês "Daily Mail".

No último domingo, a onda de protestos populares contra Kadafi completou dois meses. Nesse período, 10 mil pessoas foram mortas e entre 50 e 55 mil foram feridas. Nesta terça-feira, a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) bombardeou a capital da Líbia, Trípoli, e Sirte, cidade natal do coronel, de acordo com a rede oficial de televisão "Libia TV".

Na segunda-feira, a emissora informou outros ataques a Sirte, Trípoli e a M'hira, a 50 quilômetros da capital do país. De acordo com a Otan, a investida serviu para destruir a infraestrutura de comunicações do quartel-general de Kadafi.

A ONU (Organização das Nações Unidas) revelou que vai abrir um corredor humanitário na Líbia para levar alimentos ao oeste do país, onde os conflitos são mais frequentes. Oito caminhões, provenientes da Tunísia, saíram na segunda-feira levando comida para 50 mil pessoas. Ele se dirige ao noroeste, para cidades como Trípoli, Zintan, Yefren, Nalut, Mizda, Al Rheibat e Al Zawiyah.

Leia tudo sobre: Futebol MundialKadafiLíbiaDiouf

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG