Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Sem perder em campo há 9 meses, Diguinho reconhece má fase

Última derrota do Fluminense com o apoiador em campo foi dia 23 de maio de 2010 contra o Corinthians

Marcello Pires, iG Rio de Janeiro |

Apesar de ter perdido apenas uma vez em 2011, o momento do Fluminense não é dos melhores. A eliminação precoce na semifinal da Taça Guanabara para o modesto Boavista e os dois empates inesperados em casa na Libertadores deixaram o atual campeão brasileiro em alerta. Intocável na Era Muricy Ramalho, Diguinho reconhece a má fase, mas afirma que a equipe joga bem nos momentos de pressão e irá reagir na próxima quarta-feira como aconteceu na arrancada contra o rebaixamento, em 2009, e na conquista do Brasileirão, no ano passado.

“O momento que estamos vivendo não é o que esperávamos e queríamos. Mas nada é fácil para esse time. Desde que cheguei aqui, as coisas foram conquistas com muita superação, com desconfiança. Isso dá um gostinho até melhor. Mas isso só fortalece nosso grupo. Nós estamos acostumados a jogar jogos decisivos e importantes. Foi assim em 2009 e 2010. Esse é o jogo da nossa vida, “afirmou.

Apesar da pressão de precisar vencer o adversário mais difícil do grupo 3, o torcedor tricolor se agarra ao retrospecto recente de Diguinho com a camisa do Fluminense para acreditar numa vitória na altitude da Cidade do México. Afinal, com o camisa 8 em campo, o Fluminense não sabe o que é perder desde o dia 23 de maio, quando foi derrotado pelo Corinthians, por 1 a 0, pela terceira rodada do Brasileiro de 2010.

“São nove meses, faz muito tempo mesmo que não perco dentro de campo. Mas eu não fujo das derrotas não, é coincidência mesmo. Espero que esse retrospecto positivo continue por muito tempo e o Fluminense volte a vencer”, disse Diguinho.

E para voltar a vencer, Diguinho sabe que o Fluminense precisa de Conca cem por cento fisicamente como em 2010.

“Temos os zagueiros que defendem, os laterais que apoiam e os volantes que marcam, O Conca pensa, é nossa cabeça pensante. A função dele e armar jogadas. Procuramos deixar as coisas menos complicadas para que ele esteja sempre descansado. É um cara fundamental para nosso time e sabemos que o Fluminense só ganha com o crescimento dele”, explicou o apoiador, que já esperava uma cobrança sobrada depois do tricampeonato brasileiro.

“Somos os atuais campeões brasileiros, temos um grande elenco e contratamos grandes jogadores. Sabíamos que as cobranças e as dificuldades iriam aumentar. Mas pedimos compreensão e paciência do torcedor. A eliminação diante do Boavista foi triste, mas estamos trabalhamos para melhorar”, concluiu.
 

Leia tudo sobre: Copa Libertadores 2011FluminenseDiguinho

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG