Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Sem Mineirão, Atlético-MG já deixou de arrecadar R$ 18 milhões

Clube alvinegro teve prejuízo, mas não de R$ 40 milhões como declarou o presidente Alexandre Kalil

Victor Martins, iG Belo Horizonte |

Os jogadores do Atlético-MG não receberam o salário de fevereiro em dia. De acordo com o presidente Alexandre Kalil , um problema no banco fez com que ocorresse o atraso para os jogadores, já que os funcionários do clube receberam dentro do prazo. O que restava ser pago foi quitado nesta terça-feira, confirmou o atacante Guilherme .

Veja também: Confira a classificação atualizada do Campeonato Mineiro

“Ficar sem receber nunca é bom, mas ele (Kalil) já tinha avisado que teria esse atraso. Hoje já foi pago. Não tenho nada a falar do presidente. Sempre recebi antes do quinto dia útil. Isso é aceitável, ele tem todo nosso apoio e confiança. Continuaremos dentro de campo fazendo nosso trabalho”.

Leia também: Obras no Estádio Independência seguem em fase final

De acordo com o mandatário alvinegro, que está na Europa para tentar a compra do atacante André junto ao Dínamo de Kiev, o motivo do atraso está diretamente ligado aos quase 22 meses sem jogos de futebol. O dirigente atleticano alega que o clube deixou de arrecadar R$ 40 milhões nesse período. “Aconteceu que são acumulados R$ 40 milhões que deixaram de entrar. Isso vem se acumulando”, disse Alexandre Kalil à Rádio Itatiaia.

Siga o Twitter do iG Atlético-MG e receba notícias do time em tempo real

Apesar de ser realmente um prejuízo para o Atlético-MG atuar fora do Mineirão , os valores não chegam aos valores mencionados pelo mandatário alvinegro. Pegando como referência o primeiro ano da gestão Kalil , em 2009, como referência, o Atlético-MG deixou de arrecadar R$ 18 milhões entre junho de 2010 e dezembro de 2011.

Deixe seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Bruno Cantini/Clube Atlético Mineiro
Arena do Jacaré com poucos torcedores tem sido comum no jogos do Atlético-MG em 2012
Em 2009 o Atlético-MG teve o melhor faturamento com bilheteria na sua história recente. Foram quase R$ 14 milhões arrecadados, muito em função da boa campanha da equipe no Campeonato Brasileiro, quando estava na briga pelo título até 34ª rodada. O ano seguinte, em que contou com o Mineirão até junho, o Atlético-MG arrecadou R$ 8,4 milhões, ou seja, o faturamento caiu R$ 5,5 milhões.

O ano de 2011, totalmente fora de Belo Horizonte, foi ainda mais desastroso para o clube. Tanto na esfera esportiva quanto na arrecadação com bilheteria. Sem em campo o time teve a sua pior temporada desde que foi rebaixado à Série B, o reflexo foi no dinheiro arrecadado com bilheteria, pouco mais de R$ 2 milhões brutos.

Expectativa x Realidade

Pelo orçamento aprovado pelo Conselho Deliberativo do Atlético-MG em novembro do ano passado, o maior da história do clube , a previsão é de arrecadar R$ 15 milhões com venda de ingressos, considerando o retorno para a capital do estado a partir de março, o que não aconteceu. Para os jogos no Estádio Independência o Atlético-MG pretende cobrar R$ 30 pelo ingresso .

Leia mais: Média de público do Atlético-MG caiu dois terços nesta temporada

Ainda na Arena do Jacaré, o que se tem visto é um estádio vazio e, consequentemente, pouca arrecadação. Em quatro jogos como mandante o Atlético-MG arrecadou apenas R$ 260.360,00. No total foram 15.711 torcedores, o que dá uma média de 3.928 por partida. Enfim, números ainda bem distantes dos que projetou a diretoria atleticana.

Leia tudo sobre: Atlético-MGAlexandre Kalil

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG