Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Sem marcar, Wallyson perde artilharia da Libertadores

Depois de balançar as redes nos dois primeiros jogos, atacante passou em branco contra o Deportes Tolima

Frederico Machado, iG Belo Horizonte |

EFE
Wallyson teve dificuldades de sair da marcação do Tolima e não marcou contra os colombianos
Pela primeira vez em 2011, o ataque do Cruzeiro não funcionou e a equipe terminou uma partida sem balançar as redes. O empate em 0 a 0 contra o Tolima, na Colômbia, foi considerado um bom resultado pelo time mineiro. No entanto, para Wallyson, sair dessa partida sem fazer gols significou a perda da artilharia momentânea da Libertadores.

Wallyson começou avassalador na Libertadores. Contra o Estudiantes, da Argentina, marcou duas vezes e conquistou seu espaço entre os titulares. Contra o Guaraní, do Paraguai, repetiu o feito e anotou mais dois gols. Antes dessa quarta-feira, o atacante cruzeirense dividia a artilharia com Roberto Nanni, do Cerro Porteño, do Paraguai. O rival na busca da artilharia marcou o gol do time paraguaio no empate em 1 a 1 com o Santos, também na quarta-feira, e se isolou como maior goleador da competição.

Com quatro gols, Wallyson é o vice-artilheiro do torneio continental. O Cruzeiro já teve o artilheiro da Libertadores em três oportunidades. Thiago Ribeiro, reserva de Wallyson, foi o mais recente, em 2010, com oito gols. O boliviano Marcelo Moreno foi o artilheiro da América do Sul, em 2008, com os mesmos oito gols. Em 1976, quando o Cruzeiro sagrou-se campeão da competição, o lendário Palhinha marcou treze vezes e foi o maior goleador.


 

Leia tudo sobre: CruzeiroCopa Libertadores 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG