Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Sem Maracanã, Vanderlei Luxemburgo critica governantes

Técnico do Flamengo cobra soluções para facilitar a vida do torcedor na mudança dos jogos para Volta Redonda

Thales Soares, iG Rio de Janeiro |

O Rio de Janeiro sofre com a falta do Maracanã. Os públicos no Engenhão têm sido decepcionantes, mesmo com a boa fase de Fluminense e Botafogo. A situação crítica ficou ainda mais evidente no empate em 2 a 2 entre Flamengo e Ceará, quarta-feira, quando o Castelão recebeu quase 50 mil pessoas.

O técnico Vanderlei Luxemburgo deixou o estádio muito irritado com a situação que vive o Flamengo na competição. Sem o Maracanã, o clube optou por adotar o Estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, como sede. Domingo, contra o Atlético-PR, será lá o jogo e a cobrança é por uma atitude dos governantes.

"Vou falar com a Patrícia (Amorim, presidente do Flamengo) para colocar ônibus para os torcedores que moram no Rio. Isso faz diferença. Atuando em Fortaleza, na Arena da Baixada, em Porto Alegre, você percebe isso. O pessoal que tirou o futebol do Rio, os governantes que provocaram essa situação, prejudicou o torcedor da capital", comentou Vanderlei.

O treinador lembrou que o Fluminense lidera o Campeonato Brasileiro e os públicos dos clubes do Rio com o Maracanã poderiam bater recordes no Campeonato Brasileiro. Sem falar no prejuízo técnico.
"Eles colocaram o Rio como sede da Copa do Mundo de 2014 mas não fizeram nada pelos clubes. Flamengo e Fluminense poderiam colocar 50 ou 60 mil pessoas no Maracanã. Mas os governantes estão sossegados com a Copa no Brasil", afirmou Vanderlei.

O Flamengo ainda vai fazer mais três jogos em casa no Campeonato Brasileiro. Além do Atlético-PR, ainda enfrenta Guarani e Cruzeiro em Volta Redonda, nos dias 21 e 28 de novembro.

Leia tudo sobre: campeonato brasileiroflamengofutebol

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG