Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

“Sem flexibilização, roubalheira seria muito maior", diz Romário

Deputado votou a favor da medida provisória que dribla regras das licitações para obras da Copa de 2014

Paulo Passos, iG São Paulo |

AE
Romário em visita às obras do Estádio Mineirão, em Belo Horizonte

Crítico dos atrasos e, principalmente, do aumento dos custos das obras da Copa do Mundo de 2014, Romário (PSB-RJ) votou pela aprovação de um projeto de lei que agrada a Fifa (Federação Internacional de Futebol e Associados) e o Comitê Organizador Local da Copa de 2014. O ex-jogador foi um dos 272 deputados federais que aprovaram a medida provisória 527 , nesta quarta-feira, em Brasília. A medida dribla parte das regras da Lei das Licitações e cria o Regime Diferenciado de Contratações.

O ex-jogador nega que a alteração abra brechas para corrupção, como afirmam os parlamentares que votaram contra. “É flexibilização, não é facilitação. Se continuasse do jeito que está, muitas obras não terminariam. Eu tenho visitado as cidades e em todas ouço a mesma história: que as licitações são difíceis de se concretizarem para fazer as obras”, afirmou o deputado federal ao iG.

“Sem a flexibilização, a roubalheira seria muito maior. Sabe o que ia acontecer? Ia chegar daqui a um ano e meio e ia ter que entrar em obra emergencial, sem licitação. Ai o Governo ia abrir as pernas. Não ia ser roubo, mas sim assalto!”, completou Romário.

Presente na cerimônia que anunciou o Brasil como sede da Copa de 2014, em 2007, na Suíça, ao lado de Ricardo Teixeira, o ex-jogador passou a criticar o cartola desde que foi eleito deputado. Em maio, defendeu que o presidente da COL (Comitê Organizador Local da Copa) vá à Câmara de Deputados para explicar os gastos na organização do Mundial.

Estou amarradão na vida de parlamentar. Só não gosto de ficar no plenário. Só os líderes que falam. E a gente ouve muita abobrinha

Na entrevista ao iG, o deputado se diz apaixonado pela vida parlamentar. “Estou amarradão. Só não gosto de ficar no plenário. Porque quem tem mais tempo para falar lá são os líderes. Tenho que ficar ouvindo. E a gente ouve muita abobrinha”, diz.

Longe dos gramados desde 2007, o ex-atacante diz que não tem tempo nem para jogar uma pelada com os amigos. Futebol na TV? “Pouquíssimo!”, responde Romário, que não viu nem a despedida de Ronaldo. “Foi merecida. Depois de mim, ele foi o melhor”, disse o “Baixinho”, que antes de encerrar a entrevista reiterou: “Você anotou a frase direito? Depois de mim....”

Confira a entrevista com Romário:

iG: Você criticou o atraso e o aumento nos custos das obras para a Copa de 2014. Por que, então, votou a favor do projeto de lei que flexibiliza as regras das licitações para as obras do Mundial?
Romário: Nos últimos dias visitei cinco cidades que vão receber a Copa: Manaus, Fortaleza, Recife, Belo Horizonte e Curitiba. Em todas vi atrasos nas obras e ouvi a mesma história: que as licitações são difíceis de serem concretizadas. O estrago se não aprovasse a flexibilização seria maior. Sabe o que ia acontecer? Ia chegar daqui a um ano e meio e ia ter que entrar em obra emergencial, sem licitação. Ai o Governo ia abrir as pernas. Não ia ser roubo, mas sim assalto!

AE
Romário, em sua estreia na tribuna da Câmara

iG: Mas a flexibilização também não abre a brecha para licitações sem regras claras?
Romário: É flexibilização, não facilitação. Temos que acompanhar. O TCU (Tribunal de Contas da União) tem que ficar em cima. Tem gente dizendo que eu votei a favor da Fifa e da CBF. Não tem nada a ver isso. Eu sou crítico e vou continuar sendo. Na terça-feira vamos votar os destaques da medida provisória. Isso é muito importante também.

iG: Você esteve com Ricardo Teixeira no anúncio oficial da Copa no Brasil, em 2007. Foi convidado também para a divulgação da logomarca do Mundial, no ano passado na África do Sul. Qual é hoje sua relação com ele?
Romário: Faz tempo que não nos falamos. Eu fui eleito para defender o interesse do povo e vou fazer isso sempre. Minha posição não tem nada de particular ou pessoal contra ele. Fiz um convite para ele ir à comissão, na Câmara de Deputados, para dar respostas e dar satisfação do que está acontecendo. Não tem ninguém melhor para responder as perguntas de todos os brasileiros do que ele. Ainda mais com os escândalos de aumento nos custos. Eu no lugar dele viria. Agora tenho que ser justo. Ele é o cara que trouxe a Copa para cá. A gente tem que agradecer, mas a Copa do Mundo não é do Ricardo Teixeira. É do Brasil.

iG: Você tem conversado com outros jogadores para que eles se posicionem sobre a Copa do Mundo no Brasil, para que até participem da organização do torneio?
Romário: Para dizer a verdade não. Eu antes de ser deputado não sabia o que acontecia. É o que acontece com os outros ex-jogadores.

Depois de mim, Ronaldo foi o melhor. Você anotou a frase direito? Depois de mim...

iG: E você tem acompanhado futebol?
Romário: Posso falar a verdade? Pouquíssimo! Eu gosto de fazer três coisas na vida: jogar futevôlei, jogar pelada e cair na noite. Não tenho conseguido fazer nada disso ultimamente. Na verdade, na noite eu até fui com a minha esposa na semana passada, mas o resto faz tempo. Minha vida está muito corrida. São viagens, eventos sobre crianças com deficiência e menores carentes, que são as minhas bandeiras. Então, quase não consigo curtir.

iG: E a vida de parlamentar, você esta gostando?
Romário: Estou apaixonado. Amarradão mesmo. Só não gosto de plenário. Porque quem tem mais tempo de falar lá são os líderes. A gente ouve muita abobrinha. Nas comissões, eu consigo falar mais, passar a minha mensagem, ai é melhor.

iG: É verdade que você pode se candidatar à prefeitura do Rio de Janeiro?
Romário: Olha, surgiu essa ideia no meu partido, o PSB. Mas eu não me vejo pronto para ser prefeito. Hoje, eu votaria no Eduardo Paes (PMDB). Acho que vai ser difícil alguém vencê-lo.

iG: Você tem acompanhado a situação do Edmundo, que foi preso na última quinta-feira?
Romário: Vi o que aconteceu. Uma pena. É difícil contestar uma decisão da Justiça, mas existem coisas lamentáveis. Deve estar ruim para a ele e para a família. Acho que ele vai conseguir sair dessa.

iG: O que você está achando da seleção brasileira que vai disputar a Copa América?
Romário: Não tenho visto muito não. Mas acho que o Brasil até tem 11 jogadores titulares bons, mas faltam alguns reservas. Quando muda fica complicado. Mas na boa, nem tenho visto jogos na TV..

iG: Nem a despedida do Ronaldo você viu?
Romário: Não vi, não. Mas acho merecida. É um dos maiores jogadores da seleção, ganhou Copa do Mundo, foi artilheiro. Eu já disse isso e vou repetir: Depois de mim, ele foi o melhor. Você anotou a frase direito? Depois de mim, ele foi disparado o melhor....

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG