Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Sem declarar um favorito, Pelé vê Santos com mais chances

Ex-jogador disse que está sofrendo mais agora do que na época de quando jogava

Danilo Lavieri e Mário André Monteiro, iG São Paulo |

Bicampeão da Copa Libertadores pelo Santos , Pelé negou que a equipe brasileira seja favorita no duelo com o Peñarol pelo título da competição continental , nesta quarta-feira à noite, no Pacaembu. O ex-jogador, no entanto, vê seu time do coração com mais chances de vencer a partida e ficar com o troféu, que não é do clube desde 1963.

"Antes da partida nunca se pode dizer que tem um favorito, principalmente quando chegam dois times como Santos e Peñarol na final. Mas entendo que o Santos tem mais chances de ganhar, porque é um time mais organizado, e o Peñarol joga de forma mais defensiva, marcando muito", explicou o ex-jogador.

"O jogo de hoje pode empatar, ir para a prorrogação e ir para os pênaltis. O futebol tem tanta surpresa que a gente tem que respeitar o adversário. Só não quero que empate de 0 a 0. Se empatar 4 a 4, vai dar muita alegria. Espero que seja alguma coisa assim", completou.

Em 1962, Pelé foi o protagonista do primeiro título do Santos na Libertadores, conquistado justamente sobre o Peñarol. Fora dos dois primeiros jogos da final, ele retornou à equipe no terceiro jogo da decisão e anotou dois gols na vitória por 3 a 0, que deu a taça ao Peixe.

"Claro que sempre é uma alegria recordar uma partida como essa. São épocas diferentes e o Peñarol da década de 60 para mim era um time mais completo, jogava mais no ataque do que esse time, que se defende muito. É um tipo diferente de jogo, como o Santos era diferente do que é hoje", afirmou o ex-jogador, que se disse mais ansioso como torcedor do que na época que defendia o time da Vila Belmiro.

"Sou um cara de Três Corações e agora estou sofrendo. Estou sofrendo para chuchu. Quando enfrentamos o Peñarol, juro que na concentração não estava sofrendo tanto quanto sofro hoje. E essas coisas do destino a gente nunca sabe. Meu filho é agora auxiliar do Santos e isso me faz sofrer muito mais", disse.

*Com Gazeta

Leia tudo sobre: PeléSantosLibertadores 2011Peñarol

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG