Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Sem astros e com surpresas, futebol italiano entra em declínio

Depois de viver seu auge nas últimas décadas, o campeonato na Itália gera preocupações, mas Hernanes vê a situação com otimismo

Allan Brito, iG São Paulo |

Má fase de times tradicionais, saídas de astros e até vaga perdida na Liga dos Campeões. Tudo isso aconteceu na Itália e indica que o futebol do país está em baixa. Na atual temporada, a Internazionale está na parte de baixo da tabela de classificação e, desde a temporada passada, times pequenos conseguem fazer frente aos grandes com frequência. Além disso, a falta de revelações, as consequências dos casos de corrupção e até a crise econômica mundial geram preocupações no futebol italiano. Ainda assim, há quem veja a situação como otimismo.

Veja como está a classificação do Campeonato Italiano

É difícil precisar quando exatamente aconteceu o auge do futebol italiano. O jornalista local Sebastiano Vernazza, que trabalha há 23 anos no jornal "Gazzetta dello Sport", é contundente: "Eu diria que os tempos áureos do futebol italiano datam de 1985 a 1990. Tínhamos jogadores como Maradona, Platini, Careca, Van Basten, Zico e Sócrates", analisou.

Já o ex-jogador e hoje técnico Antônio Carlos Zago amplia o prazo: "Quando eu joguei, acho que era um dos auges. Teve o final dos anos 80 também, mas depois eu joguei em um dos melhores momentos sim, porque tinha grandes jogadores, como Zidane, Batistuta, Del Piero, Inzaghi e Vieri", lembrou ele, que se tornou ídolo da Roma entre 1998 e 2002. Nessa época o futebol italiano quebrava seguidos recordes de transferências. Em 1999, a ida de Vieri da Lazio para a Inter foi a transferência mais cara do mundo. Um ano depois, o mesmo time de Roma contratou Hernán Crespo, que estava no Parma, e quebrou esse recorde.

Getty Images
Zago brilhou na Roma e acha que só um título italiano foi pouco para a qualidade do time naquela época

Com tantos bons momentos nas últimas décadas, só há uma certeza: o auge do futebol italiano já passou. "A diferença daquela época (década de 90) para agora é muito grande. Agora, por exemplo, vou ver Juventus x Fiorentina. E nenhuma das duas tem jogadores como tinham antigamente, como Thuram, Deschamps, Rui Costa e Batistuta", analisou Antônio Carlos Zago, antes de assistir à partida entre os dois times, que terminou 2 a 1 para a Juventus.

Segundo Zago, essa diferença foi gerada principalmente por causa dos escândalos de corrupção descobertos em meados da década passada. Em 2006, a Itália foi campeã mundial na Copa da Alemanha, mas logo depois veio à tona o escândalo chamado "Calciopoli". Acusados de manipulação de resultados, Milan, Fiorentina, Lazio e Reggina foram punidos com perdas de pontos. O maior prejuízo ficou com a Juventus, que foi rebaixada para a segunda divisão e ainda perdeu títulos conquistados em 2005 e 2006, sendo que o primeiro ficou sem dono e o segundo foi herdado pela Internazionale. Com isso, o time de Milão se tornou hegemônico nos anos seguintes, mas hoje sofre com problemas financeiros, troca de técnicos frequentemente e perdeu sua principal estrela, Eto'o, para um pequeno time russo, o Anzhi.

Leia também: Atalanta é punida na atual temporada por escândalo de fraude em apostas

O declínio dos grandes clubes da Itália começou há mais de cinco anos e causou discussões na Europa. Até o presidente da Uefa (União das Federações Europeias de Futebol), Michel Platini, manifestou-se sobre a crise: "Eu não acredito nisso. O futebol é feito de ciclos, e manter uma equipe não é fácil. Mas Milan, Inter e Napoli podem definitivamente fazer uma boa Liga dos Campeões nesta temporada", apostou o ex-jogador francês, que é ídolo da Juventus.

Acho que o Campeonato Italiano está nivelado por cima e não por baixo

Outro que defende o futebol italiano atual é Hernanes, jogador da Lazio. "Se você observar as 3 equipes tradicionais (Inter, Juventus e Milan), elas têm times muito fortes. O que acontece é que os outros também estão muito fortes. Acho que o Campeonato Italiano está nivelado por cima e não por baixo. E esse equilíbrio com essas surpresas são uma coisa rica para o futebol italiano. São mais times fortes brigando pelo título", analisou o meio-campista.

AP
Hernanes está bem na Lazio e acredita que os times menores continuarão a surpreender
Em pouco mais de um ano, Hernanes se firmou como um dos principais jogadores da surpreendente Lazio, que manteve a base da temporada passada e promete manter o nível daqui em diante. Por isso, o brasileiro diz que não pensa em sair do time e aposta que o cenário não vai mudar: "Esse momento tem tudo para ser permanente, principalmente com Udinese, Napoli e Lazio. A Udinese até mudou alguns jogadores, mas Napoli e Lazio não. E todos têm tudo para se manter bem no campeonato", apostou ele.

Apesar de acreditar que há um declínio no futebol italiano, Antônio Carlos Zago vê com otimismo a presença de times menores no alto da tabela. Ele encara isso como sinal de crescimento, e não de crise. "Algumas equipes que hoje surpreendem não vão se firmar, como Catania e Cagliari. Mas a Udinese merece, porque vem contratando bem e tem investido. E com isso o campeonato fica mais atraente. Quando equipes medianas disputam a ponta da tabela, é legal sim", opinou o técnico, que ainda aposta: "O Campeonato Italiano tem tudo para voltar a ser um dos melhores".

Para crescer, como aposta Antônio Carlos, os times da Itália já têm duas dificuldades bem claras. Uma delas é o fato deles terem perdido uma vaga na Liga dos Campeões para o Campeonato Alemão. Antes, quatro italianos se classificavam, mas agora só há vagas para os três melhores times. Isso aconteceu porque os times da Bundesliga tiveram um desempenho melhor nas competições europeias durante os últimos anos.

Confira como está a tabela da Liga dos Campeões 2011/2012

Além disso, há a crise econômica mundial. Após uma década de estagnação na Itália, com problemas na taxa de crescimento e queda acentuada no poder de compra da população, o futebol passou a sentir as consequências. Nesta temporada, por exemplo, o campeonato nacional começou atrasado por causa de uma greve dos jogadores. Eles queriam mais segurança, já que os times estavam forçando situações para rescindir contratos e assim diminuir os gastos. Além disso, o aumento na cobrança de impostos passou a atrapalhar as grandes contratações.

A solução básica para esses problemas financeiros dos times italianos seria passar a faturar mais. Porém, segundo ranking da consultoria Deloitte, eles estão longe de conseguir isso. Em uma lista com os clubes que mais faturam no mundo, quem aparece melhor é o Milan, mas apenas no sétimo lugar. A Inter ficou em nono, e a Juventus, em décimo.

Seleção italiana
O pior para os italianos é que toda essa mudança no campeonato local tem se refletido também na seleção. Campeã mundial em 2006, a Itália protagonizou um dos maiores fracassos da Copa de 2010, na África do Sul. Em um grupo fraco, com Paraguai, Eslováquia e Nova Zelândia, a Itália ficou em último lugar, com dois empates e uma derrota.

Getty Images
Capitão Cannavaro sai de campo cabisbaixo após eliminação precoce da Itália na Copa
O jornalista Sebastiano Vernazza aponta o principal motivo para que isso aconteça. "O grande problema do futebol italiano é a falta de grandes talentos nas categorias inferiores. O nível técnico da garotada baixou muito. Isso acontece principalmente no norte da Itália, a região mais rica do país. O sul do país ainda produz, devido às dificuldades econômicas, alguns bons jogadores", comentou ele.

A falta de craques vista no Campeonato Italiano por Antônio Carlos também é percebida por Vernazza. "Não vemos herdeiros de Del Piero ou Totti. Hoje se fala muito em um garoto de 16 anos que se chama Tassi e foi comprado pela Inter, mas ainda é muito jovem. Hoje a Itália não tem grandes fenômenos". Mesmo assim, sob o elogiado comando de Cesare Prandelli, a Itália conseguiu bons resultados após a Copa do Mundo e se classificou para a Eurocopa de 2012 com antecedência.

Leia tudo sobre: futebol mundialitáliainternazionalemilanjuventusromahernanes

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG