Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Uniforme da seleção é reciclado e traz 'canarinho' no escudo

Produzidas a partir de garrafas pet, camisas de manga longa e curta são diferentes em razão da temperatura

Vicente Seda, iG Rio de Janeiro |

O lançamento dos novos uniformes da seleção brasileira, programado para a tarde desta terça-feir,a no Museu de Arte Contemporânea (MAC) de Niterói, foi cancelado em função da ausência de Mano Menezes. O técnico não conseguiu voltar a tempo do Peru, onde acompanha o Sul-Americano sub 20. Porém, o diretor de marketing da Nike no Brasil, Tiago Pinto, explicou o que a camisa traz de novo em termos de tecnologia. O uniforme será usado pela primeira vez no amistoso contra a França, no dia 9 de fevereiro, em Paris.

Feita totalmente a partir de material reciclado, o uniforme com manga curta tem adaptações específicas para o calor, enquanto o de manga longa foi projetado especialmente para os jogos da Copa América, que acontecerá na Argentina. O Brasil estreará no dia 3 de julho, contra a Venezuela. A camisa traz algumas marcas características. No avesso do escudo da CBF, bordado no uniforme, há o desenho de um pássaro, simbolizando o apelido da seleção “canarinho”. Na parte interna da gola da camisa há a inscrição: “Nascido para jogar futebol”.

“A camisa de manga longa não é mais a camisa de manga curta com manga longa. É outra coisa. Essa camisa foi desenvolvida com dois princípios em mente: primeiro o de ter sido desenvolvida para jogar a Copa América deste ano, na Argentina, além de amistosos, é claro. Ela tem algumas adaptações no seu desenho para favorecer a proteção ao frio, sempre integrada com aquela roupa justa por baixo, colada ao corpo, que o jogador usa para manter a temperatura. A camisa de manga curta foi pensada para aumentar a capacidade de absorção da transpiração e ter mais leveza”, explicou o diretor.

Não havia, contudo, camisas de manga longa no evento para serem apresentadas. Haverá ainda, em junho, o lançamento de um uniforme de cor preta que será usado pelos atletas apenas nos deslocamentos da delegação brasileira.

Os fios do tecido são produzidos a partir de garrafas pet recicladas. Esta inovação já havia sido apresentada pela empresa para a Copa do Mundo de 2010, porém, neste novo conjunto de uniformes, está sendo aplicada até mesmo na confecção das meias dos jogadores. Para cada camisa, são usadas cerca de oito garrafas pet. Os fios são importados, mas a confecção do uniforme é feito no Brasil. “Toda a tecnologia dessa camisa é a evolução do conceito da Nike de produção de fios a partir da reciclagem. Este ano, como aumentamos a capacidade de reciclagem, estendemos a tecnologia também para o short e para o meião”.

O segredo sempre está na construção do fio e na trama desse fio. Isso é feito de uma forma que são produzidos micro-poros que fazem com que o suor seja praticamente sugado para a parte externa do tecido. Isso facilita muito a evaporação. Há vários recortes no tecido, fazendo com que, nos pontos de maior transpiração, esses poros sejam ainda mais abertos. Até na faixa no meio, que é um elemento estético simbolizando a proteção ao guerreiro brasileiro, foi criada uma dessas áreas de maior ventilação, justamente porque o peito, como as axilas, é uma das partes do corpo de maior transpiração.

 

Leia tudo sobre: seleção brasileiramano menezes

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG