Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Mano quer conhecer novidades de perto antes da lista definitiva

Técnico chamou Fred, Thiago Neves e Fábio pela primeira vez. Vinte e oito jogadores foram convocados

Vicente Seda, iG Rio de Janeiro |

Na convocação com 28 jogadores para os amistosos contra Holanda, no dia 4, e Romênia, no dia 8, o técnico Mano Menezes incluiu algumas surpresas . Chamou quatro goleiros para incluir Fábio, do Cruzeiro, que quer observar, além de Victor, do Grêmio, Júlio César, da Inter de Milão, e Jefferson, do Botafogo, que já vinham sendo convocados. Para o ataque, a novidade foi Fred, do Fluminense, e, no meio, Thiago Neves, do Flamengo, ganhou uma chance.

“Estou trazendo o Fábio pelo mesmo motivo que trouxemos todos os outros. Você tem uma ideia do jogador de futebol quando o vê atuando à distância. Aquela famosa conversa com o jogador acontece muitas vezes por telefone, mas a verdadeira conversa mesmo é olho no olho, para saber o que ele pensa, saber se você pode incluir num projeto grande como a Copa. O Thiago Neves queremos observar, tem uma característica interessante. O Thiago já vinha se destacando, e convoquei para conhecer o jogador, saber o que pensa, aliar outras informações às informações técnicas que temos observado. O Thiago e o Fred têm características que nos interessam”, explicou.
AE
Fred, do Fluminense, foi convocado pela primeira vez por Mano Menezes

O treinador, porém, deu a entender que o meia do Flamengo não briga por posição com Paulo Henrique Ganso, do Santos, que Mano aguardará até o último momento para saber se poderá, ou não disputar a Copa América. “Thiago Neves e Ganso têm características diferentes e posicionamentos diferentes. Penso muito mais no Anderson jogando no espaço que o Ganso ocupa, armando mais do que o Thiago, que é um jogador que fica mais à frente, um ponta de lança”, analisou.

Mano ressaltou a importância de observar de perto quem considera ter potencial para vestir a camisa da seleção. Elogiou, por exemplo, a atitude de Leandro Damião, do Internacional, convocado em um momento ruim, por conta de lesões dos concorrentes Nilmar e Pato no amistoso contra a Escócia, em março. Incentivado a comparar o atleta do clube gaúcho a nomes consagrados como Ronaldo, que fará sua despedida da seleção no dia 7, Mano se esquivou, mas não deixou de elogiar o atacante que convocou para os amistosos.

“Comparar jogadores iniciantes com grandes jogadores cria uma dificuldade maior para o que está começando. Imagina o que se cria a mais para o Leandro Damião carregar o comparando com o Ronaldo. Ele tem a sua característica, despontou muito rápido, se coloca no nível das exceções. Evoluiu muito rápido e tem aproveitado as oportunidades. Teve uma chance na seleção, em um momento emergencial, não se inibiu com a chance de começar jogando e agradou naquele momento”, disse Mano que, contudo, alertou que, sem expectativa, é mais fácil ser agradado. “ Quando não se tem uma expectativa, é mais fácil agradar. Agora é outro momento, a cobrança começa a aumentar, a seleção brasileira é o lugar dos melhores”.
 

Leia tudo sobre: Seleção BrasileiraMano MenezesThiago NevesFábio

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG