Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Seleção treinará na Argentina em meio a mansões milionárias

Hotel no qual time ficará concentrado para Copa América fica em condomínio de luxo. Exposição maior do que na era Dunga

Marcel Rizzo, enviado iG a Los Cardales (Argentina) |

Marcel Rizzo
Mansão próxima ao campo que será usado pelo Brasil. Casas de veraneio para ricaços
Um campo de futebol no meio de casas que custam, em média, 1 milhão de pesos argentinos (R$ 500 mil). A seleção brasileira começa a treinar na Argentina para a disputa da Copa América na quarta-feira, dia 22 de junho, em um hotel super luxuoso na cidade de Los Cardales, a 60 km de Buenos Aires, mas que não é apenas um hotel. Mano Menezes e seus 23 comandados terão que dividir o espaço com participantes de convenções e moradores de um condomínio padrão Classe A. O iG revelou em março a escolha da CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

Se com Dunga a seleção se isolava e na África do Sul, durante a Copa do Mundo de 2010 , por exemplo, o ex-treinador pediu até um muro no hotel (o que a CBF impediu), na Argentina os jogadores terão contato diariamente com diversas pessoas, apesar da gerência do hotel afirmar que algumas áreas serão isoladas exclusivamente para a seleção.

O campo que o Brasil treinará, espera-se, até 23 de julho, véspera da decisão da Copa América, não está dentro do hotel, mas sim no condomínio logo ao lado. O dono do empreendimento é o mesmo, mas as administrações diferentes. Há duas guaritas, uma para acesso ao hotel Sofitel, outra para o “bairro”. Sim, o condomínio Reserva Cardales é chamado de bairro e impressiona: casas com formatos dos mais variados, todas imponentes, bem ao lado de onde Neymar e cia. correrão atrás da bola.

São mansões de até 650 m² projetadas por arquitetos conceituados como James Donaldson. A maioria das casas é de veraneio, mas algumas pessoas que trabalham em Buenos Aires já moram no local e trabalham na capital – o slogan principal para vendas é exatamente esse: “tenha qualidade de vida, trabalhe na capital, mas more no campo”.

“Os jogadores do Brasil terão privacidade. O acesso ao campo durante todo o período da seleção aqui será exclusivo aos jogadores. Eles também terão privacidade e espaços reservados no hotel”, explicou Carlos Perez, gerente de segurança do Sofitel, o hotel que faz parte do empreendimento que também tem um clube de golfe e um resort country – tudo integrado ao condomínio. Os moradores podem usar qualquer instalação.

Indicação
A presença de pessoas tão próximas aos jogadores não inibiu Mano Menezes de escolher o Sofitel como local de treinamento . O iG apurou que a indicação foi da AFA (Associação de Futebol Argentino), que tem o seu centro de treinamento próprio, próximo ao aeroporto de Ezeiza. As instalações em Cardales são consideradas as melhores para treinos de futebol no país e clubes como Boca Juniors e River Plate costumam fazer pré-temporada por lá.

A reportagem pôde conhecer as instalações do hotel, com exceção do... campo. A segurança do condomínio é diferente da que cuida do Sofitel, portanto a liberação não foi autorizada. “O campo só será aberto quando o Brasil chegar”, avisou um guarda. Os moradores estão proibidos de usar o local já há algumas semanas e o gramado está bem cuidado e foi aprovado pelo treinador em recente visita.

Todas as outras necessidades do elenco, como academia, restaurante, e, por que não, momentos de diversão, serão feitos no hotel (que conta com piscinas, quadras de tênis e salão de jogos, além de um campo de golfe e um lago). São sete edifícios de quartos, ligados por corredores climatizados - espera-se uma média de 5 a 10 graus entre junho e julho.



Mano Menezes exigiu um setor reservado a seu time e privacidade nas refeições . Mesmo assim o centro de convenções continuará ativo, com eventos todas as semanas dos dois próximos meses. Há duas semanas, por exemplo, Lionel Messi esteve usando uma das salas para o lançamento oficial de sua fundação beneficente. Artistas, jogadores e políticos argentinos estiveram em uma grande festa, regada a boa comida e a boa bebida, no Sofitel.

A princípio os participantes de eventos não terão contato com os jogadores, mas o hotel deve ter problemas para conter até seus funcionários. “Será que consigo uma foto com algum jogador? Sou bem-educado”, disse o vigia Martín, quando viu um brasileiro andando pelo local. Os seguranças da CBF terão trabalho.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG