Falta em grama em algumas partes e há desnível no campo. Jogadores fizeram treino leve

A seleção brasileira fez, nesta sexta-feira à tarde, o reconhecimento do gramado do estádio Mário Alberto Kempes, em Córdoba (a 750 km de Buenos Aires), palco da partida contra o Paraguai neste sábado, às 16h, pela segunda rodada do Grupo B da Copa América .

Leia matéria sobre a goleada sofrida pelo Brasil em Córdoba, na Copa América de 1987 , com vídeo dos gols

Mano Menezes comandou um rachão e o estado da grama preocupou a comissão técnica. Apesar de ainda não ter recebido jogos da competição (brasileiros e paraguaios farão o primeiro dos quatro jogos programados para Córdoba), o campo tem irregularidades e em alguns pontos falta grama.

A bola quica muito e, durante o recreativo, muitos jogadores reclamaram que pegaram muito embaixo da bola por causa disso. Na primeira partida, contra a Venezuela (0 a 0) , em La Plata, o técnico Mano Menezes já havia reclamado do gramado do Estádio Único, que soltou tufos de grama.

O Brasil ainda vai realizar uma segunda partida na cidade, quarta-feira (13 de julho), contra o Equador, e o estado do gramado deve estar ainda pior, já que dois dias antes (11) a Argentina enfrenta a Costa Rica no mesmo local. Serão, portanto, três jogos em cinco dias.

Os jogadores treinam no estádio, de olho no jogo contra o Paraguai
Marcel Rizzo
Os jogadores treinam no estádio, de olho no jogo contra o Paraguai

Depois do rachão, os jogadores de meio de campo e ataque treinaram finalizações com o auxiliar técnico Sidnei Lobo. Durante esse trabalho, o sistema do som do estádio testou o Hino Nacional Brasileiro e a música tema da Copa América. Contra a Venezuela não houve hinos porque a organização esqueceu as músicas.

Reformado
Tanto visto por fora quanto por dentro, o estádio Mário Kempes, antigo Olímpico de Córdoba, está bonito. Ele foi reformado, a custo de R$ 30 milhões, pagos pelo governo da província (estado) de Córdoba. Teve a capacidade aumentada em quase 20 mil lugares, está todo pintado e o único toque final que estava sendo feito na tarde desta sexta era a pintura e colocação de uma grade externa.

O governo quer evitar que o estádio vire um “elefante branco”, por isso tenta convencer o Belgrano, clube que subiu para a primeira divisão ao rebaixar o River Plate , a jogar no estádio (o clube tem seu próprio campo). Quem costuma usá-lo é o Talleres, que está na terceira divisão do futebol argentino.

Vista geral do estádio Mário Kempes, antigo Olímpico de Córdoba
Marcel Rizzo
Vista geral do estádio Mário Kempes, antigo Olímpico de Córdoba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.