Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Seleção feminina relembra Nagoya, palco de título da Copa dos Campeões

Hoje veteranas, Sheilla, Fabiana e Sassá estavam no grupo vencedor de 2005

Gazeta Esportiva |

Há cinco anos, a seleção brasileira feminina de vôlei chegava ao primeiro título da Copa dos Campeões. A lembrança da conquista foi a primeira que veio à mente de algumas jogadoras assim que chegaram a Nagoya, palco do ouro inédito. Para as hoje veteranas Sheilla, Fabiana e Sassá, que em 2005 começavam a conquistar espaço no time verde e amarelo, a cidade japonesa tornou-se especial.

Agora, elas pretendem sair de Nagoya, sede da segunda fase do Campeonato Mundial, com outra boa recordação: a da conquista da vaga nas semifinais da competição mais importante do ano.

"Assim que chegamos aqui, nos olhamos e nos lembramos daquele título da Copa dos Campeões. Foi realmente muito especial. A seleção tinha passado por uma renovação, o grupo era jovem. Nós estávamos chegando ao time e conseguimos conquistar um título inédito para o Brasil. Agora, espero que Nagoya também fique marcada por ser a cidade onde conseguimos a classificação para as semifinais do Mundial", disse a hoje capitã Fabiana, eleita o melhor bloqueio da competição de 2005.

A ponteira Sassá, jogadora do grupo atual que mais vezes vestiu a camisa da seleção brasileira, também se recorda com carinho da conquista. "Quando o ônibus chegou a Nagoya ontem, lembramos imediatamente de 2005. Até o hotel é o mesmo. Foi um ano maravilhoso. O grupo era novo, não éramos as favoritas, não tínhamos o melhor time, mas conquistamos o título na base da superação. Nagoya traz excelentes recordações. Espero que seja assim neste ano também", comentou Sassá, que recebeu o prêmio de melhor saque da Copa dos Campeões.

Depois de sair de Hamamatsu com 100% de aproveitamento na primeira fase do Mundial, a seleção brasileira espera repetir a mesma campanha em Nagoya. No grupo F da segunda fase, o Brasil estreará contra a Tailândia, neste sábado (6), às 4h30 (de Brasília), no ginásio Nippongaishi.

A oposto Sheilla, maior pontuadora e MVP (jogadora mais valiosa) da Copa dos Campeões de 2005, alerta para as dificuldades desta segunda etapa do Mundial, competição na qual o Brasil busca o título inédito. Além de Sheilla, Fabiana e Sassá, outras quatro jogadoras que conquistaram o ouro em Nagoya há cinco anos integram a equipe atualmente: a líbero Fabi, as ponteiras Jaqueline e Natália e a central Carol Gattaz.

"Esta segunda fase do Mundial será muito difícil. São oito times disputando duas vagas para as semifinais. Teremos que ter mais concentração, atenção, dedicação, mais tudo. Enfrentaremos adversários fortes, não podemos vacilar. Mas Nagoya é uma cidade que traz boas recordações. O título de 2005 foi maravilhoso. Naquela época, tudo era novidade. Espero que seja tudo ótimo agora também", afirmou Sheilla.

Na segunda fase do Mundial, as 16 equipes classificadas são divididas em duas chaves. O grupo E, com sede em Tóquio, é composto por Japão, Sérvia, Peru, Polônia, Rússia, Coreia do Sul, Turquia e China. Na chave F, além de Brasil e Tailândia, estão Itália, Holanda, República Tcheca, Estados Unidos, Cuba e Alemanha. Dentro do próprio grupo, as seleções jogam contra os times que não enfrentaram na primeira fase. As duas melhores equipes de cada chave garantem vaga nas semifinais.

Depois da estreia contra a Tailândia, neste sábado, o Brasil enfrentará um tradicional adversário: Cuba. As seleções estarão frente a frente no domingo (7), também às 4h30 (de Brasília).

"Brasil e Cuba são rivais históricos. Cuba correu o risco de não se classificar para a segunda fase do Mundial, mas conseguiu. Elas vão entrar para tentar conseguir alguma coisa diante do Brasil. Elas têm um estilo de jogo forte, baseado no vigor físico e nas provocações. Temos de manter a atenção e a serenidade", comentou a líbero Fabi, uma das líderes da seleção brasileira dentro e fora de quadra.

Confira abaixo a tabela do grupo F do Mundial:

06/11 - Holanda x Cuba - 0h
06/11 - República Tcheca x Estados Unidos- 2h15
06/11 - BRASIL x Tailândia - 4h30
06/11 - Itália x Alemanha - 7h

07/11 - Holanda x Tailândia - 0h
07/11 - República Tcheca x Alemanha - 2h15
07/11 - BRASIL x Cuba - 4h30
07/11 - Itália x Estados Unidos - 7h

09/11 - República Tcheca x Cuba - 0h45
09/11 - BRASIL x Alemanha - 3h
09/11 - Itália x Tailândia - 5h15
09/11 - Holanda x Estados Unidos - 7h30

10/11 - República Tcheca x Tailândia - 0h45
10/11 - BRASIL x Estados Unidos - 3h
10/11 - Holanda x Alemanha - 5h15
10/11 - Itália x Cuba - 7h30

** Horários de Brasília

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG