Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Seleção blinda Neymar e cria estratégia contra fama de "cai-cai"

Mano teme que ele seja visado pela arbitragem e tática é explicar quedas com o peso do atacante

Marcel Rizzo e Paulo Passos, enviados iG a Los Cardales |

Vai ser difícil, mas a comissão técnica da seleção brasileira quer tirar o foco gigantesco que se criou em cima de Neymar . Aos 19 anos, ele é o jogador mais badalado na preparação para a Copa América da Argentina, é pretendido por gigantes como Real Madrid e Chelsea e viajou depois de ser o protagonista no título santista na Libertadores. Esta exposição aflige Mano Menezes porque o treinador imagina que o garoto pode ficar visado pela arbitragem, principalmente pela fama que recebeu durante a competição sul-americana de clubes: “cai-cai”

“É sempre difícil você ser o jogador mais importante do time e sabemos que na seleção Neymar terá essa tarefa compartilhada, o que será importante para ele, porque fica mais livre. Ele não vai ter a preocupação de ser na seleção o que é no Santos”, disse Mano Menezes.

AFP
Mano Menezes protege Neymar e tira responsabilidade do atacante
Há uma estratégia da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e de representantes do jogador para que a fama de “cai-cai” seja apagada: valorizar o peso, que seria o motivo de não agüentar trombadas, mesmo as não faltosas, e que o faz ir ao chão. Neymar tem 63 quilos, está em trabalho de fortalecimento muscular para agüentar mais os choques, mas ainda é “fraco” e não suporta contatos mais fortes.

Messi, por exemplo, mede 1,69 e pesa 68 quilos. Tem músculos, o que Neymar, 1,74, não tem. O atacante Ronaldo, que com sua empresa de marketing esportivo 9ine gerencia a carreira do menino , participou da reunião com o pai (Neymar) e o empresário do jogador, Wagner Ribeiro, para tratarem do tema e definirem o peso como “culpado” pelas quedas.

Mano Menezes acha que Neymar está mais maduro depois de uma dura Libertadores e que não se deixará intimidar por zagueiros brucutus e por pancadas, características do futebol sul-americano, principalmente de uruguaios e argentinos. Mas preocupa os cartões que ele pode receber por ficar muito no chão, apesar de o técnico não achar que se joga de propósito. No empate contra a Holanda, dia 4 de junho em Goiânia, o árbitro paraguaio Carlos Amarilla amarelou Neymar por uma queda .

Nos dois jogos da decisão da Libertadores, contra o Peñarol, o garoto também foi amarelado – no primeiro jogo, novamente Amarilla (que não estará na Copa América) e no segundo o argentino Sérgio Pezzota, que está entre os 12 convocados pela Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol).

Todos querem a joia

AE
Neymar caindo após pancada é cena recorrente
A blindagem a Neymar também existe em não deixar que possíveis negociações atrapalhem o mês que ele ficará na Argentina. Classificado para o Mundial de clubes, o Santos não deve vendê-lo antes de dezembro, quando o clube disputa o campeonato da Fifa no Japão, mas o Real Madrid, da Espanha, pretende gastar milhões e milhões de Euros na contratação do craque garo to . Jornalistas da Espanha estão na Argentina só para perseguir Neymar e já projetam vários duelos entre o brasileiro e Messi.

Como sempre, o pai do atacante vai à Argentina acompanhar os passos do filho e evitar que ele entre em polêmicas. Neymar pai vai a todos os lugares que o filho está, seja jogo do Santos, da seleção e até do Brasil sub 20, em janeiro, no sul-americano do Peru. Nas folgas do garoto, o protege de empresários que possam tentar se aproximar. Na Copa América serão muitos, representando clubes diversos, que sempre tentam se aproximar de jovens talentosos.

“Minha segurança é meu pai, sempre está por perto. Acho que estou mais maduro, e é importante ter essa experiência com a seleção podendo jogar e ajudar”, disse Neymar. O Brasil estréia na Copa América dia 3 de julho, contra a Venezuela, em La Plata.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG