Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Sede da Copa de 2022, Catar usou jogo do Brasil como propaganda da candidatura

Amistoso entre as seleções brasileira e argentina, em novembro, foi utilizado como divulgação do país para receber o Mundial

Paulo Passos, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237854450017&_c_=MiGComponente_C

Somente em cachês para Argentina e Brasil, o governo do Catar gastou 4 milhões de euros (mais de R$ 9 milhões) no amistoso disputado em novembro. O jogo, que terminou com uma vitória dos argentinos por 1 a 0, foi apenas um dos instrumentos de propaganda utilizados pelo país para mostrar o quanto está disposto a investir na Copa de 2022.

Nesta quinta-feira, o país do Oriente Médio foi confirmado como sede do Mundial. O investimento previsto para o evento é de mais de 600 milhões de euros na organização e mais de 3 bilhões de euros em estádios.

Todos os custos do evento serão bancados pelo governo do Catar. Fãs de esporte, os filhos do emir, o xeque Hamad Bin Khalifa Al Thani, são os responsáveis por tanto investimento em eventos como o Mundial.

Um dos herdeiros, Tamim Bin Hamad Al Thani é membro do Comitê Olímpico Internacional. Seu irmão, Jassem Bin Hamad Al Thani, é fã de futebol. Foi ele o idealizador da partida entre Brasil e Argentina.

Durante três dias em novembro, o Aspire Academy, centro de excelência do esporte, criado no país, recebeu grandes nomes em um congresso. O técnico do Manchester United, Alex Ferguson, o presidente do Barcelona, Sandro Rosell, o medalhista olímpico Michael Johnson e o brasileiro Carlos Alberto Torres, entre outros deram palestras no evento.

Embaixadores de luxo
Zinedine Zidane, Pep Gardiola, Gabriel Batistuta e Roger Milla nunca estiveram juntos no mesmo time. Os ex-jogadores, entretanto, se uniram em torno da candidatura do Catar para receber o Mundial. Todos foram contratados pelo Comitê Olímpico do país e receberam cachês milionários.

Getty Images
Zidane foi contratado para ser o embaixador da candidatura do Catar

No dia 17 de novembro, Zidane foi o principal homenageado antes do amistoso entre Brasil e Argentina, em Doha. Outros atletas, além dos embaixadores da candidatura do Catar, participaram do evento, caso dos argentinos Mario Kempes e Osvaldo Ardiles

Leia tudo sobre: argentinacopa do mundoseleção brasileira

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG