Tamanho do texto

Treinador afirma, porém, que voltaria a trabalhar em 2011 se recebesse uma proposta de um grande clube

Futura Press
Renato Gaúcho disse que deixou o Atlético-PR por questões particulares
Renato Gaúcho não se lembra de ter ficado tanto tempo longe da bola. Seja dentro de campo ou à beira dele. De férias desde que pediu demissão do Atlético-PR , no dia 1º de setembro, após a derrota para o Atlético-MG , em plena Arena da Baixada, o treinador afirmou em entrevista exclusiva ao Portal iG , por telefone, que deixou o clube paranaense apenas por questões particulares e que só pretende voltar ao trabalho em 2012.

Na conversa, porém, o ex-jogador disse só repensaria sua decisão caso recebesse uma proposta tentadora de um grande clube. Como o São Paulo demitiu Adílson Batista após a derrota para o Atlético-GO e está sem treinador desde domingo, o merecido descanso de Renato Gaúcho, que já dura 46 dias, pode estar com os dias contados.

Veja a classificação do Campeonato Brasileiro atualizada

“Eu não me lembro de ter ficado tanto tempo afastado do futebol, mas tem horas que é preciso dar um tempo. Trabalho agora, só ano que vem. A menos que pinte uma proposta muito boa”, afirmou o treinador.

O São Paulo ainda não procurou Renato, mas propostas ele já recebeu. Mas nenhuma capaz de tirá-lo da praia ou do lado da filha Carolina, sua companhia predileta e com quem tem jantado frequentemente no Rio de Janeiro. Sincero como sempre, ele diz que está cansado de sofrer à beira do campo.

“Desde que deixei o Atlético-PR , recebi três propostas. Mas nenhuma me agradou. Eram clubes bons, mas em situações difíceis. Para sofrer, eu estou fora. Prefiro ficar em casa. Chega de pegar rabo de foguete”, brincou o ex-jogador, que negou ter deixado o Atlético-PR na expectativa de substituir Vanderlei Luxemburgo ou Abel Braga , ameaçados à época, no Flamengo e no Fluminense , respectivamente. “Isso não existe. Nunca recebi sondagens desses clubes”, acrescentou.

Renato tem aproveitado as férias ao lado da filha Carolina
Gazeta Press
Renato tem aproveitado as férias ao lado da filha Carolina

Gaúcho de nascimento, mas carioca por opção, Renato admite que sentiu saudade da praia de Ipanema, do futevôlei com os amigos, e, principalmente, da família. Por isso, decidiu dar um tempo. Após 20 meses de “exílio” entre Salvador, Porto Alegre e Curitiba, o treinador achou que era hora de descansar e voltar para casa.

“Não tive problema nenhum no Atlético-PR. As pessoas são ótimas, o time estava se recuperando e a estrutura do clube é sensacional. Mas estava precisando de umas férias. Os últimos dois anos não foram moleza. Peguei todos os clubes que dirigi em situações complicadas e acho que fiz um bom trabalho. Mas a vida de treinador é muito estressante e as vezes é melhor parar", afirmou.

Entre para a torcida virtual do seu time e convide seus amigos

Embora o desemprego esteja lhe devolvendo os momentos de prazer e liberdade sacrificados pelos anos de trabalho dentro de um campo de futebol, Renato reconhece que já está sentindo saudade da bola.

“Eu sinto muita falta do futebol, mas assisto todos os jogos. Só que agora sem a obrigação de treinar e de ir para a concentração toda semana. Estou curtindo muito meu futevôlei e aproveitando ao máximo o tempo com a Carol e com meus amigos”, disse Renato, que deixou para trás a fama de mulherengo. "Eu não estou morto, mas estou bem mais tranquilo. Sou muito mais família hoje em dia", afirmou.

Apesar de sempre ter as respostas na ponta da língua, Renato ficou em cima do muro na hora de apontar um favorito ao título brasileiro. No entanto, o ex-técnico do Atlético-PR aposta na equipe que conseguir emplacar uma sequência de vitórias nessa reta final.

“Parece que ninguém quer conquistar o título e um fica passando a taça para o outro. É um perde e ganha incrível. O equilíbrio é muito grande. Do Internacional para cima, eu acredito que todos têm chance de conquistar o título. Vai levar vantagem quem vencer duas ou três partidas consecutivas”, aposta o treinador.

Renato tem gostado do trabalho de Mano Menezes no comando da Seleção
Mowa Press
Renato tem gostado do trabalho de Mano Menezes no comando da Seleção

Quando o assunto é Seleção Brasileira , Renato Gaúcho mostra otimismo em relação ao trabalho de Mano Menezes. Para o ex-jogador, que defendeu o Brasil na Copa do Mundo da Itália, em 1990, a renovação está sendo bem feita, mas precisa ser acelerada.

“Estou gostando do trabalho do Mano Menezes. Ele tem realizado um trabalho importante de renovação. Só acho que ele precisa dar um padrão à equipe, manter um time base e parar de testar tantos jogadores”, explicou.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.