Diretor de seleções da CBF defendeu presidente e pediu união entre dirigentes durante a crise

Escolhido por Ricardo Teixeira para administrar a seleção brasileira , Andrés Sanchez defendeu o patrão nesta segunda-feira, em entrevista na Suíça. O ex-presidente do Corinthians afirmou que acredita na permanência do cartola envolvido em denúncias de corrupção na entidade.

Leia também: Na estreia, Andrés vira para-raio de Ricardo Teixeira

Em coletiva, Andrés Sanchez defendeu o novo patrão nesta segunda-feira
Mowa Press
Em coletiva, Andrés Sanchez defendeu o novo patrão nesta segunda-feira

“Se deus quiser, o presidente Ricardo vai ficar à frente da CBF . A Copa do Mundo está perto. Só algumas pessoas já perceberam isso”, afirmou Sanchez. Teixeira ocupa também o cargo de presidente do COL (Comitê Organizador Local da Copa de 2014).

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Após surgirem boatos de que o cartola deixaria a CBF, o que não foi negado por ele, a entidade convocou uma assembléia geral para esta quarta-feira . No encontro está prevista uma mudança no estatuto da CBF. Teixeira tem mandato até 2015.

Cotado para suceder Teixeira, Andrés Sanchez nega que isso possa acontecer agora. “Tem muita gente na minha frente. Eu vejo ele bem no cargo. Lógico que com essas especulações fica ruim para todo mundo, inclusive para ele. O Brasil precisa de paz entre os dirigentes”, disse Andrés.

Confira ainda: Na Suíça, jogadores da seleção evitam falar sobre crise na CBF

A delegação da CBF está em St. Gallen, onde o Brasil enfrentará a Bósnia na próxima terça-feira.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.