Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

São-paulinos prometem dividir responsabilidade com Rivaldo

¿Ele não está sozinho¿, afirma o lateral-direito Jean a poucos dias da estreia do novo camisa 10

Levi Guimarães, iG São Paulo |

Com estreia confirmada para a próxima quinta-feira, na partida contra o Linense, às 19h30 no estádio do Morumbi, o meia Rivaldo segue ouvindo muitos elogios dos novos companheiros. E, além de elogios, o veterano agora recebe também promessas de que seu status de “salvador da pátria” deve ficar apenas entre os torcedores.

Dentro de campo, afirmam os jogadores são-paulinos, Rivaldo não poderá ser mais cobrado do que qualquer outro atleta do elenco. O lateral-direito Jean e o volante Rodrigo Souto dizem que a responsabilidade continuará sendo igual para todos os jogadores, e até se dispõem a correrem mais para dar mais “tranquilidade” ao pentacampeão.

“Ele não está sozinho. Aconteça o que acontecer, a responsabilidade é de todos. Eu já disse um tempo atrás, não tem essa de A ou B terem responsabilidade maior. É a mesma camisa, o mesmo clube. Pela experiência e por ser o 10 não sei se os torcedores vão pensar de outra forma, mas na minha opinião tem que dividir direitinho, a responsabilidade é a mesma”, afirmou Jean.

“O que ele já fez na carreira representa muito para nós. Vamos procurar jogar um pouco mais atrás para dar um suporte a ele, pra dar mais tranquilidade para ele jogar”, disse Souto.

A questão da idade de Rivaldo, pelo menos por enquanto, não causa nenhuma preocupação entre os companheiros de São Paulo. Pelo contrário, eles afirmam que o passar dos anos só trouxe experiência ao meia. E que o futebol continua com a mesma qualidade de antes.

“Apesar da idadede, não tem diferença nenhuma. O futebol não vai se perder. A qualidade técnica não tem o que dizer, nós pudemos ver nos treinos. Passe dele é bola no pé, a visão de jogo, invertida, lançamento... Realmente já vi que ele é diferenciado”, elogiou Jean.

O camisa 2 também revelou momentos de “tietagem” vividos entre os próprios jogadores nos bastidores dos treinos do São Paulo. “A gente estava na banheira lá relaxando e eu até brinquei com o Fernandinho: ‘você nasceu lá em Ameixas, em Pernambuco, quem diria que um dia ia jogar com o Rivaldo’. E eu também jamais imaginaria”.

Leia tudo sobre: são paulojeanrodrigo soutorivaldocampeonato paulista

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG