Tamanho do texto

Com gol de Casemiro, time visitante venceu por 1 a 0 e é o único com 100% de aproveitamento no Brasileiro

Com um gol de Casemiro , o São Paulo bateu o Atlético-MG por 1 a 0, na Arena do Jacaré, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado o time paulista assume a liderança do Brasileirão , o que não ocorria desde novembro de 2009, segue como única equipe com 100% de aproveitamento na competição. Já o Atlético-MG não conseguiu quebrar um tabu de 31 anos no confronto mais difícil que teve até o momento, porém se mantém dentro do G4 , com seis pontos e quatro gols de saldo.

Com a mesma escalação usada na primeira rodada, contra o Fluminense, o São Paulo conseguiu o que queria em Minas Gerais. Fez o gol e se fechou. A pressão atleticana não foi suficiente para furar o bloqueio são-paulino. A nova vitória foi bastante comemorada pelos jogadores. Para o atacante Dagoberto, apesar do bom início, o elenco ainda precisa de reforços. “O tempo vai mostrar a maturidade da nossa equipe. Mas ainda precisamos de mais jogadores, porque é preciso ter um elenco maior para quando chegar lá frente, que vão ter suspensões e contusões”.

null
Depois da primeira derrota no Brasileirão, o Atlético-MG já projeta a recuperação diante do Bahia, neste domingo, em Salvador. Sobre a partida contra o São Paulo, Richarlyson lamentou bastante a quantidade de gols que o Atlético-MG criou e não aproveitou. “O que faltou foi sair o gol. A gente lutou, chegamos perto. Só que o São Paulo veio com uma proposta e levou até o fim. É isso que a gente precisa, quando a bola entrar vamos fazer o que a torcida gosta”.

O jogo
Bem fechado e bem postado, o São Paulo não permitia que o Atlético-MG atacasse pelas pontas e com velocidade, marca do time desde o Campeonato Mineiro. Mas com apenas um jogador na frente, a equipe paulista não tinha força para chegar dentro da área atleticana, tanto que os primeiros chutes foram de fora da área. Mas se o São Paulo não conseguia chegar com perigo ao gol de Renan Ribeiro, Rogério Ceni também não tinha trabalho nenhum com o Atlético-MG. Mancini estava apagado e a bola não chegada para Magno Alves, que ao invés de chutar, tentou cavar um pênalti e foi amarelado. Mas foi com toque de bola que o São Paulo abriu o placar. Casemiro recebeu na entrada dá área e bateu bem, superando Renan Ribeiro.

Se o São Paulo já estava fechando e aguardando o Atlético-MG em seu campo de defesa com o empate, a partir do gol a equipe de Carpegiani passou a contar com mais espaços para contra-atacar. Empurrado por mais de 17 mil pagantes, o time da casa se mandou para o ataque. Aos 43 minutos, o São Paulo teve ótima chance para fazer o segundo, mas o chute de Lucas bateu no travessão.

Preocupação do São Paulo ao longo da semana, a jogada aérea do Atlético-MG foi bem anulada. A defesa paulista levou a melhor em quase todas, nas que os atleticanos conseguiram desviar, a bola foi longe do gol. Aos 46 minutos, o lance polêmico do primeiro tempo. Magno Alves chutou e a bola bateu na mão de Luiz Eduardo, mas Sandro Meira Ricci não interpretou como pênalti e deixou o lance seguir.

O Atlético-MG voltou com três alterações no segundo tempo. Uma delas com a entrada de Dudu Cearense, estreante da noite, dois meses depois de chegar à Cidade do Galo. Além do volante, também entraram Serginho e Neto Berola, que deram mais velocidade e mobilidade ao time alvinegro. O Atlético-MG voltou melhor e encurralou o São Paulo.

Apesar de ter espaço, a equipe tricolor não conseguia contra-atacar. O Atlético-MG martelava, mas com muita dificuldade para passar a defesa do São Paulo, sempre com pelo menos três volantes na proteção. De tanto insistir, o time da casa conseguiu duas boas oportunidades. Primeiro com Richarlyson, que chutou para grande defesa de Rogério Ceni. Em seguida foi a vez de Leonardo Silva acertar o travessão, depois de cruzamento de Patric.

nullEncurralado, Carpegiani fez três alterações em sequência. Com Bruno Uvini o time ganhou mais segurança defesa, já Marlos trouxe de volta a opção do contra-ataque. E foi assim que o São Paulo esteve muito perto do segundo gol, mas Juan chutou para fora, mesmo sozinho com Renan Ribeiro. Os minutos finais foram dignos da importância da partida, que valia a liderança. Rogério Ceni ficou seis minutos em atendimento e a partida foi até os 54 minutos. A melhor chance atleticana foi com Réver, que cabeceou para fora. Assim, diante de uma grande pressão, o São Paulo conseguiu segurar o Atlétco-MG e termina a rodada na liderança do Brasileiro.

Carpegiani fala após a vitória, em charge de Milton Trajano
Milton Trajano
Carpegiani fala após a vitória, em charge de Milton Trajano


FICHA TÉCNICA – ATLÉTICO-MG 0 X 1 SÃO PAULO

Local: Arena do Jacaré, em Sete Lagoas-MG
Data: 8 de junho de 2011, quarta-feira
Horário: 21h50 (horário de Brasília)
Renda: R$ 190.475,00
Público: 17.397 pagantes
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-DF)
Assistentes: César Augusto de Oliveira Vaz (DF) e Carlos Emanuel Manzolillo (DF)
Cartões Amarelos: Magno Alves, Patric e Dudu Cearense (CAM); Lucas, Carlinhos Paraíba, Juan e Wellington (SPO)

GOL : SÃO PAULO: Casemiro, aos 21 minutos do primeiro tempo

ATLÉTICO-MG : Renan Ribeiro; Patric, Réver, Leonardo Silva e Leandro; Richarlyson, Fillipe Soutto (Serginho), Toró (Dudu Cearense) e Giovanni Augusto; Mancini (Neto Berola )e Magno Alves. Técnico: Tite

SÃO PAULO : Rogério Ceni; Jean, Xandão, Luiz Eduardo e Juan; Wellington, Rodrigo Souto, Casemiro (Bruno Uvini), Carlinhos Paraíba e Lucas (Marlos); Dagoberto (Willian). Técnico: Paulo César Carpegiani

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.