Tamanho do texto

Nos bastidores do clube, há quem aposte na queda do treinador em caso de eliminação na Copa do Brasil

“Jogo ano”. A expressão, que poderia parecer exagerada em relação a uma partida ainda pela segunda fase da Copa do Brasil e contra uma equipe da Série D do Campeonato Brasileiro, foi a melhor encontrada pelos jogadores do São Paulo para definir o confronto desta noite com o Santa Cruz. E não à toa. Afinal, uma eliminação pode mudar os rumos do time na temporada 2011.

Fora da Copa Libertadores pela primeira vez desde 2003, o São Paulo deixou claro desde o início do ano que o torneio nacional seria seu principal objetivo no primeiro semestre. Além de ser um título inédito, conquistá-lo já garantiria o retorno à competição continental em 2012. E, assim, o trabalho no resto do ano, no Brasileirão e na Copa Sul-Americana, poderia se desenrolar com maior tranquilidade.

A derrota por 1 a 0 no jogo de ida no Recife, porém, ligou o alerta. Caso sofra um gol na partida de volta, a equipe precisará vencer por pelo menos 3 a 1, uma tarefa que aparece como bastante árdua caso a equipe pernambucana consiga repetir a dura marcação que apresentou na semana passada.

A classificação, portanto, antes dada como certa, hoje já não parece tão garantida, com o São Paulo podendo estar perto de um dos maiores vexames de sua história . Com isso, não será surpresa caso o técnico Paulo César Carpegiani balance no cargo em caso de eliminação. A expectativa nos bastidores do clube é de que, não avançando, o treinador no mínimo passe a ter a conquista do Campeonato Paulista como obrigação para se manter no cargo.

Dentro de campo, porém, os são-paulinos afirmam que a derrota no jogo de ida, mais do que trazer preocupação, “cutucou a onça com vara curta”. Por isso, eles prometem motivação máxima e sequer cogitam a possibilidade de não conseguirem a classificação . A palavra “crise” também está proibida.

“Nem passa pela cabeça a eliminação. Falar em crise seria exagerado. Também não seria o caso de dispensar o treinador. O Paulo vem fazendo um grande trabalho. O que ia aumentar seria a pressão para vencer o Paulista e o Brasileiro”, afirmou o zagueiro Alex Silva .

E se a partida aparece como fundamental para os rumos do São Paulo em 2011, Carpegiani resolveu tratá-la, de fato, como uma decisão. O treinador fechou para a imprensa o último treino coletivo na véspera do jogo e, com isso, provocou mistério em relação ao time titular que estará em campo.

O mais provável é que ele comece o jogo com a mesma escalação da partida contra o Mirassol no último domingo, apenas com a volta de Rhodolfo e Dagoberto , que estavam suspensos, nos lugares de Xandão e Willian José . Em relação ao primeiro jogo contra o Santa, as mudanças devem ser Casemiro e Carlinhos Paraíba nos lugares de Rodrigo Souto e Rivaldo .

Já a equipe pernambucana chega muito embalada para o confronto. Considerada zebra a uma semana, não apenas venceu o jogo de ida como também derrotou o rival Sport pelo Estadual no final de semana. O técnico Zé Teodoro fala em vontade e determinação para superar a qualidade técnica da equipe paulista.

“Vamos jogar dentro das nossas limitações, no erro do adversário e, quem sabe, fazer um gol no São Paulo para deixá-lo na obrigação de fazer três. Não podemos jogar só para se defender, mas vamos marcar mais do que no primeiro jogo. Na vontade e determinação, podemos superar a qualidade técnica do adversário, que é maior do que a nossa", disse.

A única alteração em relação ao time que venceu o primeiro jogo deve ser a entrada de André Oliveira na zaga, no lugar de Leandro Souza, que cumpre suspensão automática depois de ter sido expulso. Everton Sena, que praticamente anulou o meia Lucas com uma marcação individual, está escalado, só não sabe ainda se com a mesma função. “O Zé Teodoro ainda não me passou nada sobre a marcação para o jogo do São Paulo, mas eu estou preparado pra qualquer coisa", disse.

FICHA TÉCNICA - SÃO PAULO X SANTA CRUZ

Local: Arena Barueri, em Barueri (SP)
Data: 06 de abril de 2011, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Árbitro: Gutemberg de Paula Fonseca (Fifa/RJ)
Assistentes: Márcia Lopes Caetano (Fifa/RO) e Wagner de Almeida Santos (RJ)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Rhodolfo, Alex Silva, Miranda e Juan; Jean, Casemiro (Rivaldo), Carlinhos Paraíba e Lucas; Fernandinho e Dagoberto
Técnico: Paulo César Carpegiani

SANTA CRUZ: Tiago Cardoso; André Oliveira, Thiago Matias e Everton Sena; Cléber Goiano, Jeovânio, Weslley, Natan e Renatinho; Gilberto e Landu
Técnico: Zé Teodoro

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.