Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

São Paulo faz primeiro tempo ruim, mas reage e bate o Americana

Carpegiani desiste de Xandão na lateral e mexe no intervalo; Dagoberto faz dois na vitória por 4 a 3

Levi Guimarães, iG São Paulo |

Se depois dos primeiros jogos no Paulistão o técnico Paulo César Carpegiani reclamou - com razão - da queda de rendimento do São Paulo no segundo tempo, nesta quarta-feira, contra o Americana, o treinador viu acontecer exatamente o contrário. Com grande atuação nos 45 minutos finais, o clube do Morumbi venceu por 4 a 3, de virada, e assumiu a vice-liderança do campeonato estadual.

Com a vitória, o São Paulo chegou a nove pontos e empatou com o próprio Americana na tabela de classificação, superando o rival no saldo de gols. O placar, contudo, não reflete o que foram os noventa minutos de jogo no estádio Décio Vitta.

AE
Jean começou o jogo como volante, foi deslocado para a lateral-direita e marcou o quarto gol do São Paulo

O primeiro tempo teve domínio total do time da casa, que abriu o placar aos 19 minutos com Charles, após cruzamento do veterano Fumagalli. O São Paulo contou com a sorte para empatar com um gol contra de Gercimar, mas seguiu sendo dominado e tomou o segundo nos minutos finais, marcado por Rafael Chorão.

Na etapa final, o técnico Paulo César Carpegiani desistiu da principal inovação que havia feito para a partida, com Xandão jogando como lateral-direito. O treinador colocou o atacante Fernandão no lugar do zagueiro e o São Paulo chegou à vitória de virada com dois gols de Dagoberto e um de Jean. Fumagalli descontou, de pênalti, já nos acréscimos.

Na quinta rodada do Paulistão, no fim de semana, o São Paulo volta a jogar fora de casa. Domingo, às 17h, o time vai à Arena Barueri como visitante no clássico contra o Santos, atual líder do Paulistão com 10 pontos. Já o Americana vai a Bauru para enfrentar o Noroeste no sábado, às 19h30.

O jogo

Jogando em casa, o Americana não se intimidou por enfrentar o São Paulo e começou o jogo pressionando a saída de bola da equipe da capital. Antes dos dez minutos, já havia concluído duas vezes contra o gol de Rogério Ceni, além de ter dois impedimentos marcados, enquanto o São Paulo, no mesmo período, não ameaçou o goleiro Jaílson.

Com muita dificuldade de chegar ao ataque, o primeiro chute do São Paulo veio com Juan, aos 11 minutos. Mas o lateral-esquerdo arriscou de muito longe e a bola saiu por cima do gol do Americana. Apenas aos 15 uma jogada mais trabalhada resultou em uma chance real. Dagoberto recebeu de Jean na direita e chutou forte, mas à direita do gol.

Quando o São Paulo finalmente parecia conseguir equilibrar a partida, o Americana abriu o placar. Marcinho recebeu cruzamento de Fumagalli da direita e, livre de marcação, apenas empurrou para o fundo das redes de Rogério Ceni para abrir o placar.

nullMesmo vencendo, a equipe anfitriã manteve o mesmo ritmo e continuou indo para cima do São Paulo, que não se encontrava em campo com Xandão na lateral-direita. Percebendo seu time perdido, Carpegiani mudou o sistema tático para o 3-5-2, com Jean saindo do meio para a ala direita.

A mudanção não parecia refletir no desempenho da equipe, mas com uma boa jogada de Fernandinho e certa dose de sorte, o São Paulo chegou ao empate. O atacante carregou a bola até a linha de fundo e tocou para trás. Juan passou da bola e não conseguiu chutar, mas ela acabou batendo em Gercimar, que marcou contra: 1 a 1.

O empate não mudou a situação e o Americana seguiu com o domínio do jogo até o final da primeira etapa. Dagoberto teve boa chance aos 42, mas chutou para fora. E dois minutos depois, em falha de Xandão, os anfitriões assumiram a liderança do placar novamente, com gol do atacante Rafael Chorão, que invadiu a área sozinho e chutou sem chance de defesa para Rogério Ceni.

Se a simples mudança de esquema não fez diferença, Carpegiani buscou uma mudança maior no intervalo, sacando Xandão e colocando Fernandão em campo. Desta vez, o efeito foi imediato.

Logo aos três minutos, Dagoberto recebeu passe longo na esquerda e, com o lado de fora do pé direito, encobriu o goleiro Jaílson quando saía do gol. O zagueiro Júlio César ainda conseguiu afastar, mas a arbitragem considerou que a bola já havia atravessado a linha e confirmou o gol de empate.

No lance seguinte, mais polêmica. Miranda derrubou Rafael Chorão em lance dentro da área, mas o árbitro Flávio Rodrigues Guerra não viu pênalti e apenas mandou a jogada seguir.

Com isso, a virada veio aos 13 minutos. Fernandão, que já havia arriscado um bom chute de fora da área, cruzou da direita do ataque são-paulino e Fernandinho furou, mas Dagoberto não. Na disputa com a zaga, o camisa 25 conseguiu tocar e fazer seu segundo na partida, o terceiro do São Paulo.

Com seu time finalmente na frente do placar, Carpegiani tirou o atacante Marlos e colocou o volante Zé Vitor para aumentar a segurança defensiva. Assim ele conseguiu diminuir o ritmo do Americana, que teve como uma de suas melhores chances no segundo tempo um chute de falta de longa distância, aos 25 minutos, defendido por Rogério Ceni.

Três minutos depois, foi a hora de Jean brilhar. O camisa dois, que começou a partida como volante e foi para a lateral-direita, acertou um ótimo chute de pé esquerdo e mais uma vez o São Paulo contou com a sorte. A bola bateu no travessão e nas costas do goleiro antes de entrar.

Nos minutos finais, o Americana lutou para descontar, mas encontrou dificuldades com a postura mais defensiva do São Paulo. Somente nos acréscimos foi marcado pênalti cometido por Miranda e, na cobrança, Fumagalli diminuiu.

FICHA TÉCNICA - AMERICANA 3 X 4 SÃO PAULO

Local:
Estádio Décio Vitta, em Americana (SP)
Data: 26 de janeiro de 2011, quarta-feira
Horário: 22 horas (de Brasília)
Árbitro: Flávio Rodrigues Guerra
Assistentes: Danilo Ricardo Simon Manis e Alberto Poletto Masseira
Assistentes adicionais:
Marco Antonio de Oliveira Sá e Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza
Público: 8705 pagantes
Renda: R$ 228.390,00
Cartão amarelo: Rodrigo Souto (São Paulo)

GOLS:
Americana: Charles, aos 19 minutos e Rafael Chorão, aos 44 do primeiro tempo; Fumagalli, aos 47 minutos do segundo tempo
São Paulo: Gercimar (contra) aos 32 minutos do primeiro tempo; Dagoberto, aos 3 e 13 minutos, e Jean, aos 28 minutos do segundo tempo

AMERICANA:
Jailson, Luís Felipe (Kassio), Jorge Luiz, Júlio César e Hélton; Gercimar, Léo Silva, Marcinho e Fumagalli; Charles (Jhon) e Rafael Chorão. Técnico: Edinho Nazareth

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Xandão (Fernandão), Alex Silva, Miranda e Juan; Rodrigo Souto, Carlinhos Paraíba, Jean e Fernandinho; Marlos (Zé Vitor) e Dagoberto (Marcelinho Paraíba). Técnico: Paulo César Carpegiani

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG