Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

São Paulo e Santos jogam clássico do equilíbrio entre defesa e ataque

Os dois times, que disputam uma vaga na final do Campeonato Paulista, têm o mesmo saldo de gols

Samir Carvalho e Levi Guimarães, iG São Paulo |

Não é apenas em revelar grandes jogadores como Neymar e Lucas, que São Paulo e Santos demonstram semelhança. As duas equipes também possuem números parecidos com relação ao desempenho nesta temporada. No Campeonato Paulista, os dois times possuem saldo de gols idênticos: 20. Enquanto, o Santos marcou 40 gols e sofreu 20, o São Paulo balançou as redes 39 vezes e levou 19 gols.

“Existe um equilíbrio, as duas equipes são as que mais fizeram gols. O que se resolve é dentro de campo. Eles (São Paulo) têm uma equipe muito forte dentro de campo. estamos preparados para essa vitória”, afirmou o goleiro Rafael.

As duas equipes, que também demonstram semelhança por apostarem na velocidade de seus jogadores, chamam a atenção pelo equilíbrio entre a defesa e o ataque. No Santos, o equilíbrio sonhado pelos ex-treinadores Dorival Júnior, Adilson Batista e Marcelo Martelotte, só foi encontrado com a chegada de Muricy Ramalho.

Antes de Muricy, o Santos se destacava por marcar muitos gols, mas tinha a defesa bastante criticada devido o número de gols sofridos nas competições. Nesta temporada, o Santos havia disputado 21 partidas, marcado 43 gols (média de 2,04 por jogo), e sofrido 26 (média de 1,23/jogo).

Com Muricy, a equipe santista disputou seis jogos e sofreu apenas dois gols. Os gols também não pararam de sair: foram dez sob o comando de Muricy. “Nosso time sempre foi muito ofensivo. Mas agora estamos sabendo segurar mais o jogo. Para a gente, 1 a 0 é 10 a 0”, disse Neymar.

Divulgação
Com Muricy Ramalho, o Santos sofreu apenas dois gols em seis jogos disputados

Elogiado por arrumar a defesa do Santos, Muricy não gosta de ouvir que a equipe santista está marcando menos gols. “Continuamos atacando, mas sem levar contra-ataques. Já não somos tão expostos como antes. Aprendemos a jogar sem a bola”, disse Muricy.

Já no São Paulo, o crédito da defesa é concedido a Rhodolfo. Homem de confiança de Carpegiani, que trabalhou com o zagueiro no Atlético-PR na temporada passada, Rhodolfo conquistou a posição de titular e sua ausência por causa de um edema na panturrilha é bastante lamentada na equipe.

“Acho que consegui dar uma ajuda. O grupo é bom e está dando certo. Entrosamos o setor defensivo com o de meio de campo e estamos nos saindo bem”, disse Rhodolfo.


 

Leia tudo sobre: santossão paulorhodolfomuricy ramalho

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG