Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

São Paulo e Fluminense ignoram insinuações de copo mole e só pensam na vitória

Se time de Muricy precisa vencer para seguir com chances de ser campeão, equipe de Carpegiani joga última cartada para manter sonho da Libertadores vivo

iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237859339699&_c_=MiGComponente_C

Muito se falou durante a semana em mala branca, favorecimento e até uma campanha do torcedor do São Paulo pedindo para a equipe entregar o jogo. Mas para os protagonistas do clássico entre Fluminense e São Paulo, neste domingo, às 17h, na Arrena Barueri, tudo não passa de conversa fiada.

Se Muricy Ramalho conhece como poucos os segredos e o profissionalismo que impera no Morumbi e tem na ponta da língua o discurso de como será dificil bater o rival fora de casa, Paulo Cesar Carpegiani rejeita o papel de coadjuvante e, mesmo com tantos desfalques, escalou o que tem de melhor.

Embora tenham ambições completamente distintas no Campeonato Brasileiro, Fluminense e São Paulo têm um único caminho para seguir com seus objetivos bem vivos na temporada: vencer. Se para os donos da casa, uma derrota siginifica um adeus definitivo à chance de disputar a Libertadores pela oitava vez consecutiva, um resultado negativo para o Fluminense atrapalha e muito o sonho do bicampeonato brasileiro.

Acostumado a frequentar a parte de cima da tabela nas últimas temporadas, o São Paulo, tricampeção em 2006, 2007 e 2008, precisa de uma combinação de resultados quase milagrosa para ficar em quarto lugar e ainda torcer para que Palmeiras ou Goiás não conquistem a Sul-Americana. Apesar da situação incômoda, Carpegiani não admite ver seus adversários mais motivados.

Não podemos entrar em campo para fazer um papel secundário. Temos que procurar nos impor dentro de campo, buscar a vitória, assim como o Fluminense vai fazer. Não tenho que falar mais nada sobre motivação para os meus atletas, só que a nossa obrigação é de ganhar, afirmou o treinador do Sâo Paulo.

Depois de tanto disse me disse sobre corpo mole,  Jean afirma que independentemente da situação que sua equipe esteja na tabela sua motivação é sempre a mesma e contra o vice-líder do Brasileirão não será diferente.

Eu posso falar por mim. Eu estou 200% motivado. Sempre estive. Eu sei o que passei para estar aqui hoje, então tenho que estar motivado. Claro que quando você briga por um título ou pela vaga na Libertadores a motivação é maior, mas agora precisamos tentar nos inspirar na nossa história e no que passamos para chegar aqui, disse o volante.

Rival conhecido

Responsável pelas recentes conquistas do adversário, Muricy Ramalho espera repetir essa trajetória vitoriosa nas Laranjeiras. E o sucesso pode começar até mesmo antes do previsto, já que o objetivo da equipe carioca em 2010 era a vaga na Libertadores.  Embora Muricy reconheça que a nova meta está muito perto, ele afirma que um tropeço na reta final não será nenhuma tragédia.

A meta da diretoria nesta primeira temporada era a vaga na Libertadores, até porque no ano passado o time lutou para não cair. Mas o trabalho foi bem feito, o time encaixou e entramos na briga pelo título. Temos três jogos pela frente para conquistarmos nosso objetivo, mas não vou me sentir frustrado se o título não vier, afirmou Muricy, que, curiosamente, recebeu o apoio de alguns torcedores do São Paulo.

Alguns torcedores me ligaram dizendo que irão torcer por mim, mas imagino que só depois do jogo, né? Já disse várias vezes que não acredito em corpo mole e mala branca. As pessoas falam muito mas nada provam, e quando falam isso pessoas são envolvidas e eu não acho isso legal, concluiu.

Muricy lamentou não poder contar mais uma vez com seus quatro principais jogadores juntos, já que Emerson foi vetado e nem sequer viajou para São Paulo. No entanto, o treinador fez questão de elogiar o comportamento e o desempenho daqueles que seguraram a barra ao longo da competição.

Realmente está muito difícil conseguir escalar todo mundo. É muito ruim quando machuca um monte de uma vez. Mas o time reagiu bem e se estamos brigando pelo título devemos àqueles que estão jogando. Eles não são considerados estrelas, mas deram conta do recado, mostraram personalidade  e nos mantiveram na briga pelo título, enalteceu o treinador.

FICHA TÉCNICA - SÃO PAULO X FLUMINENSE
Local:
Arena Barueri (SP)
Data: 21 de novembro de 2010, no domingo
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Heber Eugênio Lopes (FIFA)
Assistentes: Gilson Bento Coutinho (PR) e José Amilton Pontarolo (PR)
 
FLUMINENSE: Ricardo Berna, Mariano, Gum, Leandro Euzébio e Carlinhos; Fernando Bob, Valencia, Diguinho (Deco) e Conca; Washinton e Fred. Técnico: Muricy Ramalho
 
SÃO PAULO: Rogério Ceni, Jean, Alex Silva, Miranda e Richarlyson; Cleber Santana, Carlinhos Paraíba, Lucas e Jorge Wagner (Casemiro); Fernandão e Lucas Gaúcho. Técnico: Paulo Cesar Carpegiani

Leia tudo sobre: campeonato brasileirofluminensefutebolsão paulo

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG