Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

São Paulo e Corinthians acirram rivalidade, mas também se invejam

Andrés Sanchez e Juvenal Juvêncio esquentam disputas entre os dois times, que também acumulam motivos para provocar os rivais

Allan Brito e Luiz Augusto Lima, iG São Paulo |

Andrés Sanchez e Juvenal Juvêncio entraram em guerra na semana passada. Presidentes de Corinthians e São Paulo, eles foram símbolos de uma "guerra" maior, que tem acontecido entre seus times. Afinal, com o Palmeiras em baixa, o clássico "Majestoso" tem sido a principal rivalidade do futebol paulista atualmente. E o curioso é que os dois lados têm motivos para se orgulhar e fazer o rival sentir inveja.

Corinthians e São Paulo brigam pelo título do Brasileirão. Veja a tabela

O atrito entre Andrés Sanchez e Juvenal Juvêncio sempre houve, mas nunca foi tão escancarado quanto é hoje. Essa exposição da briga entre os dois começou com uma provocação mais dura do presidente são paulino, que criticou a falta de escolaridade de Andrés, que, segundo ele, tem "Mobral (Movimento Brasileiro de Alfabetização) inconcluso e precisa estudar mais".

Mais tarde, no mesmo dia, foi a vez da resposta corintiana: "Eu só fiz o ginásio, não escondo isso de ninguém, mas não sou um ditador que dá golpe em cima de golpe", declarou Andrés, para depois completar com suspeitas sobre o passado de Juvenal na vida pública. "Ele sabia fazer casas populares e vender. É só ver o passado dele. Ele era presidente da Cecap em um escândalo de anos atrás, quando foi subprefeito da Penha", denunciou o presidente do Corinthians.

Leia também: Juvenal comparece a treino do São Paulo

Antes dessa discussão pública, os dois já tinham acumulado outras polêmicas. Uma mais recente aconteceu quando Andrés chamou Juvenal de "prepotente, metido e cagueta" por supostamente ter vazado um vídeo no qual Andrés chama a TV Globo, sua parceira, de "gângster". Antes, as negociações pelos direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro, a sede paulista da Copa de 2014 e até um simples vídeo em que o São Paulo foi representado por um "bambi" complicaram o relacionamento dos dois mandatários.

Na maioria dessas disputas quem comemorou foi Andrés, que ainda pode festejar a vantagem no retrospecto contra o São Paulo de Juvenal. Desde o final de 2007, quando os dois passaram a se enfrentar como presidentes dos seus clubes, aconteceram 13 clássicos, mas Juvenal só venceu um. Os outros jogos tiveram oito vitórias corintianas e quatro empates.

Além disso, há outros motivos para o corintiano se orgulhar na rivalidade com o São Paulo. Veja cinco deles:

Torcida

As últimas pesquisas de quem tem a maior torcida do Brasil até apontaram um aumento no número de são paulinos, mas alcançar o seu maior rival vai ser difícil. O Corinthians está em segundo lugar, com 13% ou 14%, dependendo da pesquisa. Já o São Paulo aparece com 8% dos torcedores no país.

Dessa forma, o Corinthians tem mais capacidade para lotar mais estádio e ainda fica com mais potenciais compradores dos seus produtos de marketing.

Torcida Virtual

Por enquanto a Torcida Virtual tem refletido bem a superioridade do Corinthians contra o São Paulo. Mas há uma diferença significativa, já que no ranking do iG o time do Parque São Jorge aparece no primeiro lugar, com 9565 torcedores cadastrados.

Já o São Paulo está surpreendente mal no ranking da Torcida Virtual. O time do Morumbi conta com 4170 torcedores, em quinto lugar. Clique aqui, entre na Torcida Virtual do seu time, convide seus amigos e ajude seu time a subir no ranking.

Retrospecto

Em meados da década passada, o São Paulo chegou a emplacar uma longa sequência de vitórias contra o Corinthians, mas nem isso foi suficiente para que a vantagem corintiana no retrospecto geral acabasse. Recentemente, de 2007 para cá, quem tem sofrido mais no "Majestoso" é o São Paulo.

Dessa forma, o Corinthians ampliou para 114 o número de vitórias contra o São Paulo, que venceu seu rival 97 vezes. Além disso, aconteceram 97 empates nos 308 clássicos.

Marketing

Foi-se o tempo em que o São Paulo conseguia ser hegemônico nas vantagem que um bom projeto de marketing pode trazer para um clube. O time do Morumbi até foi pioneiro nessas questões no Brasil, mas recentemente o Corinthians o superou nesse quesito.

Gazeta Press
Contratação de Ronaldo só foi possível por causa de um grande projeto de marketing

A contratação de Ronaldo, em 2009, foi o maior símbolo disso. Através de acordo com patrocinadores, o Corinthians conseguiu trazer o "Fenômeno" para o Brasil, em uma contratação que trouxe títulos, visibilidade internacional e até outro motivo para o São Paulo invejar o seu rival...

Espaço na mídia

No final de 2008, o São Paulo tinha sido tricampeão brasileiro consecutivo e teria tudo para dominar o espaço na mídia. Mas a contratação de Ronaldo se tornou um símbolo de algo que é histórico: a vantagem corintiana no apelo com o público, o que sempre lhe rende mais visibilidade na imprensa esportiva. A volta do astro ao Brasil roubou toda a atenção que o título do São Paulo teria.

Mas nem só de vitórias corintianas é feita essa rivalidade. Veja também cinco motivos para o São Paulo se orgulhar:

Libertadores e Mundial no Japão

AP
Eliminação diante do fraco Tolima foi o trauma mais recente do Corinthians em Libertadores
Foi exatamente o São Paulo que começou a obsessão de times brasileiros pela Copa Libertadores, ao ser bicampeão em 1992 e 1993. Depois, com os clubes dando mais valor para essa competição, vários conquistaram o título, mas um ficou de fora da festa, o Corinthians.

Dezenove anos depois, essa obsessão corintiana só aumentou e até hoje é um dos maiores sonhos da torcida. Isso até foi minimizado com o Mundial de Clubes conquistado em 2000, mas por ele ter acontecido no Rio de Janeiro e em uma final contra um time brasileiro, o Vasco, é subestimado até hoje. Já o São Paulo foi campeão mundial fora do Brasil, no Japão, contra times europeus, para a inveja corintiana.

Luis Fabiano

Antes de acertar seu retorno ao São Paulo, Luis Fabiano chegou a negociar com o Corinthians. Andrés Sanchez queria o "Fabuloso", mas as negociações com o Sevilla não evoluíram. Meses depois, o time do Morumbi insistiu e investiu R$ 17,5 milhões no atacante.

Porém, por causa de lesões, a reestreia de Luis Fabiano demorou sete meses para acontecer e isso rendeu uma provocação de Andrés: "Fico com dó do Luis Fabiano. Ele é um grande jogador. Eu estava copiando o Reffis (centro de recuperação do São Paulo) aqui no CT, mas acho que vou mudar para não copiar tudo", disse o presidente, revelando mais uma inveja corintiana.

Ídolo

Atualmente o Corinthians não tem ninguém em seu elenco que possa ser chamado de ídolo pela torcida. Quem chegou mais perto disso recentemente foi Ronaldo, mas ele teve momentos conturbados no clube, se aposentou e agora o torcedor certamente sente falta de ter um jogador para idolatrar, como aconteceria com Tevez, maior sonho da diretoria para a próxima temporada.

Leia também: Edu Gaspar mantém espera por Tevez

Em um jogo recente contra o Flamengo, a "Estopim da Fiel" preparou uma homenagem ao clube com 101 faixas em homenagem a grandes ídolos e não colocou nenhum jogador do elenco atual. Em nota, a torcida organizada até criticou o elenco corintiano.

Paulo Passos
Corintianos homenagearam 101 ídolos, mas ninguém do elenco atual foi lembrado

Enquanto isso, o São Paulo tem Rogério Ceni, que não se cansa de quebrar recordes pelo clube. Além de fazer seu centésimo gol exatamente contra o Corinthians, ele protagonizou uma das maiores festas recentes do Morumbi, ao completar seu milésimo jogo pelo time.

Sem rebaixamento no Campeonato Brasileiro

A Série B agora parece distante para o Corinthians, que lidera o o Campeonato Brasileiro de 2011 e teve grandes chances de ser campeão nacional em 2010. Mas em um passado nada distante, em 2007, o time foi rebaixado e deu todos motivos para os rivais rirem dele.

Em resposta aos palmeirenses, os corintianos até podem lembrar do rebaixamento de 2002. Mas o São Paulo nunca caiu no Brasileirão e sequer tem chegado perto disso recentemente. No máximo é possível lembrar que o time do Morumbi foi rebaixado no Campeonato Paulista de 1990, mas o regulamento permitiu que o time fosse campeão estadual já no ano seguinte.

Estádio

É melhor o São Paulo correr atrás de algo novo para fazer inveja nos corintianos, pois um deles está perto do fim. Afinal, ao longo da história, o Morumbi sempre foi motivo de orgulho para a torcida são paulina, que costumava provocar o Corinthians por não ter uma casa.

Porém, a partir de 2014 isso deve mudar. Afinal, o "Fielzão" já está em obras e ainda deve receber a abertura da Copa do Mundo de 2014, algo que era um objeto de desejo do presidente são paulino Juvenal Juvêncio.

Veja fotos recentes das obras do "Fielzão":


 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG