Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Santos promete briga por tri-mundial

Presidente Luis Álvaro pretende lutar para que a Fifa reconheça a Recopa de 1968 como título Mundial

Gazeta |

O presidente do Santos, Luis Álvaro de Oliveira, afirmou que o alvinegro praiano pretende brigar para seguir conquistando o reconhecimento dos títulos conquistados em épocas passadas. Além disso, voltando aos tempos atuais, o dirigente afirmou que o time está perto de finalizar a contratação do lateral Jonathan, do Cruzeiro, afirmando que a situação só depende do jogador para se concretizar.

"O Jonathan nos interessa, ainda ontem (quinta-feira) eu falei com o presidente do Cruzeiro, Zezé Perrela. É uma boa alternativa para a nossa lateral direita com o empréstimo do Maranhão. Eu não quero criar expectativa, mas é uma alternativa para a nossa lateral direita que está desfalcada agora", explicou o presidente do Peixe, em entrevista à rádio Bandeirantes.

Luís Álvaro afirmou que o negócio pode ser bom para todos os envolvidos, e se eximiu da culpa na demora para o acerto com o lateral, afirmando que pelo lado do time paulista já está tudo acordado com a equipe mineira.

"Certamente o Santos vai pagar, é um atleta muito jovem ainda, foi escolhido um dos três melhores laterais direitos na festa da CBF. Todos sabem que o Santos é uma vitrine, e eles ficando com uma parte do lateral na negociação podem ficar com uma parte em uma possível venda. Eles podem ser valorizados com isso, mas é uma coisa que depende da vontade do jogador", afirmou.

Luis Álvaro ainda se mostrou animado com os títulos brasileiros reconhecidos pela CBF, e espera ter o mesmo sucesso para afirmar o tricampeonato mundial de clubes com a Recopa de 1968.

"Vamos começar a briga agora, a gente tem que matar um leão de cada vez, a próxima agora é a Recopa. Nunca imaginamos poder chegar à Fifa com o apoio da CBF. Alías, é a primeira vez em 30 anos que alguém protocola um pedido à CBF", comentou.

Por fim, o cartola santista colocou o time totalmente fora da briga pelo meia-atacante Ronaldinho Gaúcho, ironizando os comentários de que o ex-melhor do mundo poderia se desligar do Milan para se juntar a Neymar e Paulo Henrique Ganso em 2011.

"Especulaçao pura, imaginação fertil às vesperas do fim do ano, a escassez de notícias nessa fase do ano faz com que se sejam inventadas essas coisas. Não temos nada com o grande Ronaldinho Gaúcho".

"Não faz o menor sentido sequer econômico contar com um jogador que não tem história com o Santos, inclusive jogou muito poucas vezes contra o santos", afirmou. Não é como o Robinho que foi formado aqui, ou o Elano que nós trouxemos de volta", esquivou.

Leia tudo sobre: Paulo Henrique GansoSantosJonathanMundial de Clubes

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG