Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Santos pega o Peñarol pelo tri e para eternizar geração

Título da Libertadores pode fazer Neymar e Ganso se tornarem os melhores "Meninos da Vila" desde Pelé

Samir Carvalho, iG Santos |

A “geração Neymar e Ganso ” pode fazer história com a conquista do terceiro título da Copa Libertadores da América, caso o Santos vença o Peñarol nesta quarta-feira, às 21h50 (de Brasília), no estádio do Pacaembu. Isso porque a atual equipe santista tem a chance de marcar a retomada de um time que sempre teve fama de campeão, oportunidade perdida pela geração “Diego e Robinho” - vice-campeã da Libertadores em 2003 ao perder a decisão para o Boca Juniors.

Siga o iG Santos no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

Para ficar com a taça, o time brasileiro precisa vencer por qualquer placar. Novo empate, por qualquer placar, leva a decisão para a prorrogação. Persistindo a igualdade, o título será decidido nos pênaltis.

A geração de Robinho e companhia venceu o Campeonato Brasileiro de 2002 e 2004, enquanto o Santos de Neymar pode conquistar o quarto título em um ano e meio. Antes de chegar à decisão da Libertadores neste ano, o time da Vila Belmiro alcançou o bicampeonato paulista (2010 e 2011) e a Copa do Brasil de 2010.

Entretanto, é justamente o título da competição continental contra o Peñarol, que fará da “geração de Neymar e Ganso” os melhores “Meninos da Vila”. Até o início da temporada passada, Robinho e Diego eram incontestáveis, principalmente pelo fato de conquistarem um título após 18 anos, iniciando a retomada de um clube que sempre conquistou muitos títulos na história do futebol.

No final dos anos 70, os primeiro "Meninos", liderador por Juari, encantaram o país, mas conquistaram "apenas" o Campeonato Paulista de 1978.

O atual elenco santista conta com dois jogadores que fizeram parte das duas últimas gerações vencedoras do Santos. O meia Elano e o lateral-esquerdo Léo também tinham eram titulares da equipe que conquistou o bicampeonato brasileiro.

Gazeta Press
Paulo Henrique Ganso treinou com confiança e será titular na grande decisão


Entre para a torcida virtual do Santos e convide seus amigos

O goleiro Rafael, um dos símbolos da nova geração santista, sabe que o título da Libertadores colocará a atual geração a frente do time de 2002. “Hoje você vê muitos torcedores na rua por causa daquela geração de 2003, mas para nós é importantíssimo o título. Fico feliz. Meu objetivo é marcar história aqui no Santos. O título fica para sempre. Quero marcar história e fico feliz”, disse o camisa 1.

Para o duelo contra o Peñarol, o técnico Muricy Ramalho definiu o time titular . A grande dúvida era em relação à presença de Paulo Henrique Ganso. O meia está recuperado de uma lesão muscular na coxa direita, e iniciará a partida como titular. Além de Ganso, O Santos terá os retornos de Léo e Edu Dracena. O primeiro está recuperado de uma lesão no tornozelo esquerdo, enquanto o capitão da equipe volta de suspensão após ficar de fora do jogo de ida no Uruguai.

Já o Peñarol deve utilizar a mesma formação dos últimos quatro jogos. O técnico Diego Aguirre, inclusive, confirmou a presença do atacante Oliveira, que era dúvida para o duelo decisivo contra os santistas. No entanto, os uruguaios apostam na qualidade técnica do argentino Martinuccio para surpreender o Santos na final.

FICHA TÉCNICA - SANTOS X PEÑAROL (URU)
Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data/hora: 22/6/2011 - 21h50
Árbitro: Sergio Pezzotta (Fifa-ARG)
Auxiliares: Ricardo Casas (ARG) e Hernán Maidana (ARG)

SANTOS: Rafael, Danilo, Edu Dracena, Durval e Léo; Adriano, Arouca, Elano e Paulo Henrique Ganso; Neymar e Zé Eduardo.
Técnico: Muricy Ramalho.

PEÑAROL (URU): Sebastián Sosa, Alejandro González, Carlos Valdez, Guillermo Rodríguez e Darío Rodríguez; Nicolás Freitas, Luis Aguiar, Mathías Corujo, Matías Mier e Alejandro Martinuccio; Juan Manoel Olivera.
Técnico: Diego Aguirre.
 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG