Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Santos nega que divergências tenham causado demissão de Jamelli

Ex-jogador era o gerente de futebol do time da Vila Belmiro e foi demitido no final do ano passado

Gazeta |

O Santos apresentou na última terça-feira Nei Pandolfo como o seu novo gerente de futebol. Porém, a demissão de Paulo Jamelli do cargo, no final do ano passado, ainda continua sendo comentada nos bastidores do clube. Por isso, o diretor de futebol santista, Pedro Luiz Nunes Conceição, tratou de dar a versão do time sobre os fatos. O dirigente negou que tenha acontecido uma discussão de Jamelli com o alto escalão do clube da Vila Belmiro, fato este que teria ocasionado a saída do ex-gerente.

"No que diz respeito a saída do Jamelli, me impressiona a capacidade que o futebol tem de potencializar o que no dia-a-dia de uma empresa seria absolutamente normal. Foi uma opção da nossa diretoria fazer essa troca. Sob o ponto de vista gerencial precisávamos fazer essa alteração e, portanto, não houve absolutamente nada além disso", afirmou Nunes Conceição.

O diretor de futebol alvinegro também aproveitou para criticar as informações de que essa possível discussão de Paulo Jamelli, questionando alguns reforços contratados pelo Santos durante as suas férias, seria o real motivo da sua demissão.

"Conduzi todo esse processo junto com o próprio Jamelli, só que a gente não entende como algumas notícias foram publicadas, dizendo que o motivo da sua saída seriam as contratações feitas na ausência dele. Não entendemos de onde sai tanta informação criativa. Foi algo normal, que acontece em qualquer empresa. Porém, realmente é um desconforto você dispensar um funcionário do alto escalão, de confiança", comentou.

Dando fim ao assunto Jamelli, Pedro Luiz Nunes Conceição aproveitou para explicar os critérios que levaram o Peixe a contratar Nei Pandolfo como novo profissional responsável pela gerência de futebol do clube para a temporada 2011.

"A nossa dúvida era entre trazer um ex-atleta ou não, e optamos por trazer o Nei. Nós queríamos alguém que tivesse o mínimo de identificação com o Santos e ele já passou aqui como jogador e auxiliar técnico. Além disso, precisávamos de alguém que mantivesse relações absolutamente profissionais com o mundo empresarial do futebol, perfil que sempre marcou a carreira do Nei Pandolfo. Fora isso, o Nei sempre teve uma capacidade de liderança muito forte, foi capitão pelas equipes que passou e é o chamado líder positivo, que agrega", encerrou.

Leia tudo sobre: jamellisantos

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG