Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Santos joga mal e sofre empate nos acréscimos na Libertadores

Após abrir o marcador em cobrança de pênalti de Elano, o Cerro Porteño empatou também de pênalti

Samir Carvalho, iG Santos |

Futura Press
Zé Eduardo sofre um pênalti no jogo
O Santos não apresentou um grande futebol e empatou a segunda partida consecutiva na Copa Libertadores da América. A equipe santista empatou por 1 a 1 com o Cerro Porteño nesta quarta-feira, na Vila Belmiro. Os dois gols do jogo foram marcados de pênalti. Elano abriu o marcador no início da segunda etapa e Nanni empatou nos acréscimos do jogo.

O atacante Neymar mais uma vez não conseguiu repetir o futebol apresentado na seleção brasileira sub 20, que conquistou o Sul-Americano da categoria, no Peru. Se não bastasse, o camisa 11 viu o atacante argentino Iturbe se destacar em jogadas individuais. É a segunda vez que o atleta de 17 anos, chamado de novo Messi na Argentina, “rouba a cena” de Neymar.

Na fase final do Sul-Americano, Iturbe marcou o gol da vitória da seleção argentina por 2 a 1 contra o Brasil. Foi a única derrota da seleção brasileira na competição.

Como os ingressos de arquibancadas foram vendidos a R$ 100 para o duelo desta quarta-feira, o público foi frustrante na Vila Belmiro, que teve pouco mais de seis mil pagantes. A torcida, inclusive, protestou do lado de fora ao distribuir “notas” de R$ 100 com a caricatura do Tio Patinhas.

Após o duelo contra o Cerro Porteño, o Santos joga contra o Oeste no próximo sábado, às 21h (de Brasília), em Itápolis, pela décima primeira rodada do Campeonato Paulista. Já pela Libertadores, a equipe santista volta a campo no próximo dia 16, quando enfrentará o Colo Colo, no Chile, pela terceira rodada da competição continental. Já o Cerro enfrenta o Deportivo Táchira, no Paraguai, no dia 10.

O jogo
A partida começou bastante ‘truncada’ no meio-campo e o primeiro time a finalizar para o gol foi o Cerro Porteño. Aos quatro minutos, Nuñez cobrou falta da direita e a bola desviou na zaga e foi para escanteio. O Santos não conseguia criar as jogadas de ataque e começava a despertar a impaciência dos torcedores, que vaiavam principalmente os passes errados de volante Rodrigo Possebon.

A única jogada do Santos no primeiro tempo aconteceu aos 15 minutos. Neymar driblou o zagueiro na linha de fundo e cruzou rasteiro para Zé Eduardo, que furou o chute na entrada da pequena área.

Já o Cerro assustou o goleiro Rafael novamente em uma cobrança de falta aos 25 minutos. Nuñez chutou forte e obrigou o goleiro santista cair no canto para fazer uma grande defesa. Com Neymar pouco inspirado, o jovem Iturbe “roubou a cena” com jogadas de velocidade e habilidade.

Aos 37 minutos, o atacante de 17 anos fez uma linda jogada individual na direita, deixou o marcador no chão e cruzou para Nuñez, que cabeceou para fora na entrada da pequena área.

Apesar das vaias da torcida no término do primeiro tempo, Marcelo Martelotte não mexeu na equipe no intervalo e voltou com o mesmo time para a segunda etapa. Porém, o Santos voltou melhor para o jogo.

Aos oito minutos, Diogo tabelou com Neymar e deu uma bela assistência para Zé Eduardo, que saiu na frente do gol e foi derrubado pelo goleiro Barreto. O árbitro marcou o pênalti e na cobrança o meia Elano abriu o marcador ao chutar no canto direito do goleiro.

Após sofrer o gol, o Cerro apostava nas cobranças de faltas de Nuñes para empatar a partida. O meia paraguaio obrigou Rafael a fazer duas boas defesas: aos 18 e 22 minutos do segundo tempo. Já o Santos apenas administrou o resultado e evitou pressionar o adversário no ataque. Porém, o zagueiro Edu Dracena cometeu pênalti no atacante Barreto no último do jogo. Na cobrança, Nani chutou no canto esquerdo do goleiro Rafael para empatar o jogo para o Cerro Porteño.

FICHA TÉCNICA – SANTOS 1 X 1 CERRO PORTEÑO-PAR

Local: Estádio Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data: 2 de março de 2011, quarta-feira
Horário: 21h50 (horário de Brasília)
Árbitro: Héctor Baldassi (Argentina)
Assistentes: Ricardo Casas e Alejo Castany (ambos da Argentina)
Público: 6.735
Renda: R$ 475.300
Cartões amarelos: Elano, Zé Eduardo e Léo (Santos); Fórmica, Barreto e Burgos (Cerro)

Gols:
Santos
– Elano aos oito minutos do segundo tempo
Cerro Porteño –Nanni aos 47 minutos do segundo tempo

SANTOS: Rafael; Jonathan, Edu Dracena, Durval e Léo; Rodrigo Possebon (Adriano), Danilo e Elano; Diogo (Alex Sandro), Neymar e Zé Eduardo (Keirrison)
Técnico: Marcelo Martelotte (interino)

CERRO PORTEÑO-PAR: Diego Barreto, Iván Piris, Pedro Benítez, Cardoso (Bareiro) e Cesar Benitez; Luis Cáceres (Júlio dos Santos), Rodrigo Burgos, Nuñes e Fórmica (Torres); Iturbe e Roberto Nanni
Técnico: Blas Cristaldo

 

Leia tudo sobre: santoscopa libertadores 2011cerro porteñoelano

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG