Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Santos foge da pressão em Atibaia e agenda reunião por Muricy

Enquanto elenco ficará em Atibaia visando o jogo contra o Bragantino, em Bragança, diretoria foca Muricy

Samir Carvalho, iG Santos |

A derrota do Santos diante do Colo Colo por 3 a 2 na última quarta-feira, no Chile, aumentou a pressão pela contratação do técnico Muricy Ramalho, que deixou o Fluminense no último domingo. Enquanto o elenco santista ficará em Atibaia se preparando para o jogo contra o Bragantino neste sábado, em Bragança, o iG apurou que o presidente do Santos, Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro, já agendou uma reunião com os investidores do Grupo Guia (Gestão Unificada de Inteligência e Apoio ao Santos), para esta sexta-feira, em São Paulo.

A ideia é antecipar a chegada de Muricy Ramalho, que já avisou que pretende descansar nos próximos 30 dias antes de voltar a trabalhar. Em contato com o iG nesta semana, Luís Álvaro revelou que o clube aceitaria esperar as ‘férias’ de Muricy, pois a diretoria está satisfeita com o desempenho do técnico interino Marcelo Martelotte. No entanto, a pressão por resultados na Libertadores pode mudar a estratégia da diretoria.

A delegação do Santos ficará em Atibaia até o jogo contra o Bragantino, pela 14ª rodada do Campeonato Paulista. Apesar da concentração em Atibaia ter sido definida antes da derrota para o Colo Colo, o elenco santista vai aproveitar a tranquilidade longe do CT Rei Pelé para fugir da pressão após a derrota em Santiago, pela Copa Libertadores.

Os santistas deixaram o Hotel em Santiago nesta quinta-feira e tem chegada prevista no Aeroporto de Guarulhos por volta das 19h (de Brasília). O jovem Felipe Anderson, que não está inscrito na Libertadores, deixou a cidade de Santos na tarde desta quinta para se encontrar com o restante do elenco.

Após a derrota no Chile, os jogadores deixaram o gramado reclamando de falhas individuais da equipe na partida. Elano e Rodrigo Possebon falharam no segundo e terceiro gol do Colo Colo, respectivamente. “A gente não tocou bola, perdemos chances e perdemos o jogo. Foram três erros que tivemos no primeiro tempo e eles mataram o jogo”, afirmou Paulo Henrique Ganso.

 

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG