Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Santos emite nota sobre venda de porcentagem dos direitos de Neymar

Clube explicou como foi feito o cálculo da negociação dos direitos do atleta, pois grupo pagou valor abaixo do praticado no mercado

Gazeta Esportiva |

A diretoria do Santos resolveu se manifestar oficialmente sobre as notícias de que o clube teria vendido 5% dos direitos econômicos de Neymar a um grupo de conselheiros, integrantes da Terceira Estrela Investimentos S.A (Teisa), composto pelos membros do grupo GUIA (Gestão Unificada de Inteligência e Apoio ao Santos), aliados que tem participação direta na gestão do presidente Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro na Vila Belmiro.

Os santistas explicaram como foi feito o cálculo da negociação dessa porcentagem dos direitos de Neymar, pois a Teisa pagou R$ 3,5 milhões, um valor abaixo do praticado no mercado. Isto porque, tendo em vista que pelos 5% do atacante, o valor atual a ser pago seria de R$ 3,9 milhões. Em janeiro do ano que vem, quando passar a vigorar o novo contrato de Neymar, até 2015, a multa rescisória irá saltar de 35 (R$ 78,3 milhões) para 45 milhões de euros (R$ 101 milhões).

Além de Neymar, o volante Arouca teve 20% dos seus direitos comprados pela Teisa, informação confirmada pela cúpula santista. Em relação ao goleiro Rafael, o Santos negou que tenha vendido 10% dos seus direitos econômicos a esse grupo de conselheiros. O Santos também rechaçou por completo qualquer possibilidade de que teria negociado jogadores das categorias de base do clube com a Teisa.

Leia na íntegra o comunicado emitido pela diretoria do Santos:

A respeito das notícias veiculadas na manhã de hoje sobre a venda de 5% dos direitos econômicos do atleta Neymar à empresa Terceira Estrela Investimentos S.A., o Santos FC tem o seguinte a esclarecer:

a) O Clube vendeu, por R$ 3.549.900,00, o equivalente a 5% dos direitos econômicos de Neymar para a empresa Terceira Estrela Investimentos S.A., no dia 30 de novembro de 2010;

b) O valor integral de mercado do atleta, de 30 milhões de euros, foi estipulado após avaliações de três agentes Fifa independentes e considerou a última oferta oficial feita pelo Chelsea (25 milhões de euros); portanto, o preço aprovado unanimemente pela diretoria e que serviu de referência para a transação com a Teisa foi 5 milhões de euros maior que o documento rechaçado pelo Clube em agosto;

c) A multa rescisória firmada em contrato não reflete o preço de mercado do atleta; no caso específico de Neymar, foi aumentada para 45 milhões de euros para garantir a permanência do ídolo na Vila Belmiro e para proteger o clube e a torcida de investidas internacionais;

d) Ao contrário das negociações realizadas pela gestão anterior, a criação e a relação da Teisa com o Santos FC foi amplamente discutida com o Conselho Deliberativo do clube;

e) Observando o direito de preferência sobre o jogador Neymar expresso em contrato com o Grupo DIS, o Santos ofereceu a referida participação à empresa. Esta manifestou a ciência da proposta, mas não exerceu sua opção, dentro das mesmas condições e valores objetos da negociação com a Teisa;

f) Indispensável dizer que, fosse o valor tão vantajoso para o grupo de investidores quanto fazem crer as reportagens, o Grupo DIS naturalmente teria feito o negócio;

g) Alguns participantes do Grupo Guia são assessores da presidência e conselheiros licenciados; nenhum deles exerce cargos de diretoria no clube;

h) Os membros do Grupo Guia detêm cerca de 20% do valor integralizado na Teisa; é importante ressaltar que a empresa, desde sua constituição, estabeleceu que 75% de seus ganhos reais serão automaticamente repassados ao Santos FC;

i) O Santos FC reitera que não tem nenhum interesse em vender Neymar e espera que ele cumpra integralmente seu contrato;

j) Os recursos arrecadados com o repasse de porcentagens minoritárias de atletas à Teísa permitem ao Santos FC manter seus compromissos financeiros e montar um time competitivo para 2011, o que já começou a ser desenhado com a contratação do atleta Elano. Sem esta verba, ainda que a atual gestão tenha ampliado significativamente as fontes de receitas, o Clube não teria condições de realizar grandes aquisições;

k) A diretoria do Santos reafirma a importância da parceria com a Teisa, empresa formada por investidores santistas que, alinhados com os interesses do clube, permitirão a injeção de recursos sem a consequente saída dos atletas;

l) Finalmente, afirmamos que são mentirosas as notícias de que o goleiro Rafael e outros 30 atletas das categorias de base foram negociados com a Teísa; os únicos dois jogadores objetos de negociação foram Neymar e Arouca.

Luis Álvaro Oliveira Ribeiro
Presidente do Santos

Leia tudo sobre: mercado da bolaneymarsantos

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG